Museu Itinerante da Escravidão está em Frutal

A cidade de Frutal recebe pela primeira vez o Museu Itinerante da Escravidão. O objetivo deste projeto pedagógico é apresentar aos estudantes e professores de todo o Brasil o acervo histórico formado por dezenas de peças dos séculos XVIII e XIX, período em que o Brasil fazia uso de mão de obra escravizada.
As palestras, que serão ministradas até a próxima sexta-feira (26), estão sendo realizadas no saguão do Museu e tem como público-alvo estudantes da rede municipal de ensino.
Durante cerca de uma hora de conversa, o historiador e idealizador do projeto, Luís Cajazeiro, conta história da escravidão no Brasil. Mas ao invés de focar nos relatos sobre os horrores e a tortura sofrida pelo povo negro, o professor prefere valorizar os atos de resistência, a cultura e as conquistas dos homens e mulheres que lutaram contra a escravidão.
Além disso, a palestra é extremamente dinâmica, lúdica e estimula a interatividade entre os alunos e o historiador. Outro fato que tem chamado a atenção e encantado os estudantes, é que eles são estimulados a tocar nas peças que compõem o acervo do Museu Itinerante.
A ação é promovida pela Secretaria de Cultura, Lazer, Esportes e Inclusão e busca levantar discussões positivas sobre a história dos povos escravizados, heranças culturais, valores e conquistas. Além de fortalecer a identidade negra e contribuir para a igualdade social. E ainda, promover debates contra o preconceito e o racismo.

%d blogueiros gostam disto: