O Hospital Frei Gabriel orienta sobre a picada do escorpião

Com o objetivo de orientar os pacientes que chegam até o Hospital Frei Gabriel vítimas de picadas de escorpião. O diretor clinico do HFG, José Plínio dos Reis convocou a imprensa local para passar orientações a população frutalense. A entrevista aconteceu na manhã deste dia 22, na sede do hospital. A preocupação maior era com os idosos e as crianças, pois estes pacientes são mais sucessíveis aos efeitos tóxicos do veneno do escorpião. Esses efeitos são graves quando ocorridos podendo levar a morte do paciente.

A gravidade depende de fatores como a espécie e tamanho do escorpião, quantidade de veneno inoculado, idade ou tamanho do paciente, sendo as crianças abaixo de sete anos o grupo mais vulnerável. Os idosos, por já apresentarem hipertensão arterial ou mesmo alguma patologia cardíaca, muitas vezes recebem soro desnecessariamente, porém sempre devem ser avaliados cuidadosamente.

Segundo Dr. Plinio, o primeiro procedimento é vir ao hospital. E ao chegar uma equipe médica fará a avaliação. E são aplicados anestésico e analgésico, como um bloqueio de dor, em seguida o paciente aguarda alguns minutos no pronto socorro e se houver manifestação dos sintomas de envenenamento: náuseas, vômitos profusos e frequentes (sintoma importante, que anuncia a gravidade do envenenamento), sudorese profusa, hipotermia, tremores, sonolência, hipertensão arterial, taqui ou bradicardia, hipotermia receberá soro antiescorpiônico e mais medicações.

Se o paciente não desenvolver nada é encaminhado para casa e orientado a qualquer sintoma retornar ao hospital. È raro acontecer à intoxicação com o veneno. O soro como qualquer outro medicamento, pode haver contra indicação (choque anafilático), porém tem que ser aplicado, e ao introduzir o mesmo já percebe a reação, e é feito o tratamento. E o médico está preparado para qualquer ação adversa. Em caso de caso de complicação e havendo a necessidade da utilização da UTI – Unidade de Tratamento Intensivo os pacientes serão transferidos, afirma o diretor.

De acordo com Dr. Plínio, o Soro Antiescorpiônico é fornecido ao município através da Secretaria Estado de Saúde de Uberaba, eles que possuem o controle de distribuição destas doses do soro e fornecem aos municípios da região. Este é encaminhado ao HFG através da Secretaria Municipal de Saúde de Frutal, podendo ocorrer às vezes de não ter este soro sendo um acontecimento muito raro, esta é uma deficiência do Estado e não de Frutal.

 

%d blogueiros gostam disto: