Governo divulga parcelamento do 13° salário

imagem

Funcionalismo estadual receberá o 13º parcelado, assim como já vem sendo feito com os salários desde o início do ano. O governo mineiro vai liberar metade do benefício em dezembro para todos os servidores. O restante será pago de forma escalonada em janeiro e março, conforme a faixa salarial. O cronograma foi anunciado ontem.

De acordo com o calendário apresentado pelo governo estadual, todos os servidores receberão metade do salário líquido no dia 22 de dezembro, independentemente do valor. No dia 24 de janeiro, serão pagos até R$3 mil por servidor. Com isso, quem tem remuneração de até R$6 mil líquidos já estará com a segunda parcela do 13º quitada. Para os servidores com salário superior a R$6 mil, o pagamento do saldo remanescente será no dia 24 de março.

Em reunião ontem com sindicalistas, o secretário estadual da Fazenda, José Afonso Bicalho, apresentou o quadro financeiro do Estado e afirmou que o pagamento do 13º salário será possível porque a folha de pagamento dos servidores foi vendida ao Banco do Brasil. Segundo ele, Minas Gerais receberá R$1,4 bilhão agora e R$450 milhões ao longo dos próximos cinco anos. “Geralmente os bancos pagam 70% à vista. Conseguimos que o BB nos pagasse 75% agora. Isso mostra o esforço do Estado para conseguir melhorar a situação financeira”, disse.

No encontro com sindicalistas foi apresentado também o calendário de pagamento do funcionalismo estadual no primeiro trimestre de 2017. Os servidores estaduais continuarão a receber de forma escalonada pelos próximos três meses.

Para quem ganha até R$3.000, os salários serão pagos integralmente no dia 11 de janeiro, 10 de fevereiro e 10 de março.  Os servidores com remuneração até R$6 mil terão os recursos liberados no dia 17 de cada mês. Para os demais, o depósito será feito nos dias 20 (janeiro) e 21 (fevereiro e março).

O secretário estadual de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, acrescentou que o Estado está fazendo esforços para garantir os recursos necessários para cumprir o cronograma, mesmo com um cenário nacional de grave crise financeira. “Nossa expectativa é de melhora na economia para conseguirmos honrar a escala que assumimos e garantir a manutenção dos serviços essenciais. Estamos governando para mais de 600 mil servidores e milhões de mineiros”, disse.

Fonte; Jornal da Manhã

%d blogueiros gostam disto: