Polícia

Frutal: advogado é suspeito de entregar droga e celular para dentro do presídio

Um advogado está sob suspeita de fornecer maconha e um celular a um detento do Presídio de Frutal, segundo informações da Polícia Penal. O incidente teria ocorrido na sexta-feira (23), quando os itens ilícitos foram encontrados em posse do preso após uma visita do advogado.

Os entorpecentes estavam escondidos em canudinhos de plástico e o aparelho celular estava desmontado, ambos apreendidos imediatamente após o encontro do detento com o representante legal. Há suspeitas de que os objetos foram passados através de pequenas aberturas no vidro do parlatório, espaço destinado para que os detentos assinem documentos.

Embora advogados não sejam submetidos a revistas ao adentrar o parlatório, devido a proteções legais, os detentos passam por revistas rigorosas antes e depois das visitas, uma medida de segurança que se mostrou eficaz neste caso.

Com a descoberta, foi realizada uma inspeção na cela do preso, resultando na apreensão de mais dois celulares. A ocorrência foi encaminhada para a 3ª Delegacia de Polícia Civil, responsável por conduzir a investigação subsequente.

O advogado em questão deixou o presídio antes da apreensão e, portanto, não foi detido em flagrante. Até o momento, ele não foi localizado pelas autoridades.

A imagem veiculada com a notícia mostra os canudinhos recheados com maconha e os micro celulares apreendidos, pequenos o suficiente para serem confundidos com a tampa de uma caneta.

Em nota, é importante destacar o esforço contínuo dos agentes da Polícia Penal, que frequentemente enfrentam desafios e preconceitos. A operação realizada é um passo significativo para compreender os mecanismos de entrada de substâncias proibidas e dispositivos no Presídio de Frutal, ressaltando a dedicação e profissionalismo dos agentes envolvidos.

Comments

comments

rdportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação

%d blogueiros gostam disto: