Noticias

Plano de ações contra queimadas mobiliza órgãos ambientais e entidades ligadas ao setor rural

A fim de traçar metas para um enfrentamento de queimadas na região, foi realizada uma reunião na sede do Sindicato Rural de Frutal, na última terça-feira (26), solicitada pela Polícia Militar de Meio Ambiente.

O evento contou com presença também de representantes do Sindicato Rural, Instituto Estadual de Florestas (IEF), Senar, Corpo de bombeiros, Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil e produtores rurais.

A comandante da Polícia Militar de Meio Ambiente, tenente Liliane de Souza, informa que foi convocada pela promotora de Justiça, Angélica, por estar preocupada com as questões de incêndio urbanos e florestais, propondo um trabalho em conjunto no sentido de conscientizar a população para não provocar incêndios.

Segundo ela, esta é a primeira de várias reuniões que serão realizadas a fim de, cada vez mais, proteger o meio ambiente. Na reunião, também surgiu a ideia de promover uma semana de conscientização desses problemas que envolvem o meio ambiente.

“É só o começo de um trabalho bem maior que a gente se propõe a fazer. Inicialmente, está sendo feito um trabalho da Secretaria de Meio Ambiente em parceria com o Corpo de Bombeiros de fiscalização em lotes vagos e blitz de conscientização na área rural junto com o IEF. E também estamos conscientizando as nossas crianças. São vários aspectos que estão sendo abordados juntos”, comenta.

O presidente do Sindicato, Nivaldo Pacheco de Morais, declara que foi uma reunião muito produtiva por se tratar de um tema atual que precisa ser considerado por toda a população do planeta e também pela presença de um grande número de produtores rurais.

Ele destaca que o período da seca traz alta periculosidade quanto a incêndios. “Chegamos a um consenso e o Sindicato Rural sai na frente convocando autoridades e escolas para que, no ano que vem, possamos realizar uma semana dedicada à defesa do meio ambiente. Precisamos conscientizar todo mundo. O fogo é perigoso e não pode ser praticado em hipótese alguma. Temos que defender o meio ambiente”, salienta.

O presidente da Câmara, Juninho do Sindicato, também enfatizou a importância do evento. Ele afirma que atualmente o município não está apto para o combate ao incêndio porque faltam veículos para o Corpo de Bombeiros.

“É uma grande correria quando ocorre incêndio aqui próximo pegando caminhão de uma usina ou outra. Por isso, temos que investir em infraestrutura para o ano que vem. Temos que começar a cobrar e pedir aos deputados destinar verbas e veículos para os bombeiros e Prefeitura (que possui só um caminhão-pipa), pois não são suficientes para atender uma vasta área do município. Assim, vamos nos preparar para atender essa demanda”, conclui.

Comments

comments

rdportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação

%d blogueiros gostam disto: