Fila de banco e a “educação” do frutalense

Depois 1 hora na fila do banco, consegui ser atendido no Banco do Brasil. Aí me pergunto… e a tal da lei dos 15 minutos?

==

Aliás, hoje, especificamente, nem a senha eletrônica com o horário de entrada do cliente não está sendo fornecida, apenas um pequeno pedaço de papel escrito à mão.

==

Bom, além de ter ficado 1 hora na fila, no momento em que fui ser atendido no guichê 2 uma jovem que estava “beirando” a fila pulou na minha frente. Outro caixa ao ver o que aconteceu me chamou e me atendeu. Na saída, enquanto conversava com um segurança da agência, encontrei a jovem na porta do banco e falei: “ela quem pulou na minha frente”.

==

A justificativa dela é a de que só foi lá “trocar um dinheiro”. Respondi que tudo bem, eu só queria fazer um depósito e fiquei 1 hora na fila do banco. Qual é a prioridade dela em trocar o dinheiro? Por que não pegou uma senha e entrou na fila como todos ali? Enfim, coisas da “educação” brasileira.

==

Sem contar um advogado no telefone que deixou todos constrangidos ao xingar em alto e bom som a própria mãe que o “abandonou” por três vezes na vida. As cerca de 50 pessoas que estavam lá foram unânimes em afirmar falta de bom senso e de educação dada a altura da conversa telefôncia do advogado com seu interlocutor.

==

Coisas da vida cotidiana, não?

==

Comments

comments

rodrigoportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação.

2 Comments:

  1. Amigo Rodrigo precisamos ir firmes na busca dos nossos direitos, não devemos aceitar estes tipos de digamos atitudes que estas redes bancárias e outros órgãos públicos promovem com a população, agora quanto a atitude por você citada da atitude do digamos advogado lamentável, pois, quem não respeita nem a mãe o que dirá as outras pessoas.

  2. Sobre a lei dos 15 minutos, ontem estava em uma loja da CTBC e conversando com uma das pessoas na fila para o atendimento, falamos sobre filas no banco, ai a pessoa disse que fica 15 minutos esperando, e após este tempo já passa a usar celular fazendo acesso à rede e etc, e que em uma das vezes que fez isto foi chamado a atenção por um dos seguranças que dizia que é proibido por lei o uso de aparelho celular dentro de bancos, a tal pessoa disse apenas o seguinte: “ok, já que é para seguir a lei vamos seguir, faz um BO contra mim pelo uso do telefone e já vamos fazer também pelo fato de que por lei eu deveria ser atendido em 15 minutos e já estou aqui há quase 1 hora”. Enfim, nossas leis e suas aplicações, preciso nem falar o fim né?

Comentários estão fechados