Uma história de idas e vindas de uma AIME

Depois de muitas idas e vindas, está marcada para 20 de agosto a audiência onde será apreciada a Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME) proposta contra a coligação vencedora nas últimas eleições. Essa é uma terceira, paralela às outras duas já apreciadas e em segunda instância, que corria no Fórum de Frutal e foi marcada por algumas características toda própria…

==

…inicialmente o juiz eleitoral de Frutal arquivou o pedido alegando que se tratava de uma demanda idêntica à apresentada pelo Ministério Público. Houve recurso ao TRE e o TRE entendeu que a ação não era idêntica e mandou a papelada de volta para Frutal para que fosse apreciada…

==

…ao receber a papelada de volta, o juiz eleitoral alegou impedimento de julgar tal ação por já ter dado sentenças em outras ações que, na sua visão, eram parecidas com essa. No despacho, o juiz pediu que um substituto então fosse nomeado para apreciar o caso…

==

…mais uma vez o TRE contrariou o juiz eleitoral de Frutal e não acatou a justificativa de impedimento. Desta forma, ele terá que realizar a audiência de instrução e julgamento e dar a sentença nesse caso. A denúncia ainda versa sobre compra de votos.

==

A julgar por toda a história e pelos argumentos até então apresentados pelo juiz, não é de se estranhar que a sentença siga tudo o que ele já fez até o momento: improcedência da denúncia. Mas só a história das idas e vindas da papelada entre Frutal e Belo Horizonte já vale o registro do caso.

==

O amigo Renato Furtado sempre me surpreende com mensagens de texto no celular. A de hoje me deixou extremamente motivado.

==

Um abraço também aos amigos Deny Miziara, Marlon Bardauil, André Eletricista, Jarbinhas, Mazzarope, Gilson e Ana Cláudia que apoiam esse blog. E um abraço para os parceiros do mgnoticia.com, Antônio Araújo e Nélio Barbosa.

==

==

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: