Com o apoio da Prefeitura, Presídio de Frutal promove concurso de desenho

Quando se fala em ressocialização de pessoas presas, poucas pensam que esse trabalho possa ter início dentro de uma unidade prisional.

O que muita gente não sabe, é que o Sistema Prisional Mineiro, incluindo a Unidade Prisional da nossa cidade, desenvolve diversas ações culturais, educacionais e sociais com os mais de duzentos IPL’s (Indivíduos privados de liberdade) que estão cumprindo pena na instituição.

Recentemente, 25 IPL’s do Presídio de Frutal participaram de um concurso de desenho promovido pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), cujo tema foi “A vida pós-pandemia: diante das dificuldades é que nasce a esperança”. A adesão ao projeto e a qualidade dos desenhos chamou tanto a atenção, que a direção do Presídio decidiu fazer um concurso interno no qual foram premiados seis trabalhos.

O vencedor dessa competição interna foi escolhido para representar a Unidade de Frutal na etapa regional, que tinha entre seus jurados profissionais da Sejusp, artistas plásticos e quadrinistas renomados.

O desenho feito pelo IPL de Frutal não ficou entre os 12 finalistas escolhidos para compor um calendário que será produzido pela Sejusp com os trabalhos selecionados. Contudo, a direção do Presídio local decidiu promover um evento para premiar os autores das seis ilustrações escolhidas pelos profissionais que atuam na unidade prisional da nossa cidade. A cerimônia contou com a presença do prefeito Bruno Augusto de Jesus Ferreira e do secretário de educação Marco Antônio Gaioso, representado pela professora Rute Gonçalves.

De acordo com Sara Rodrigues Assistente Executiva de Defesa Social do Presídio de Frutal, atual Responsável pelo Núcleo de Ensino e Profissionalização da Unidade, a participação no concurso de desenho era facultativa, assim como todos os outros projetos educacionais e culturais desenvolvidos na unidade.  “A maioria dos frutalenses não sabe, mas aqui na Unidade eles participam de atividades socioeducacionais, produzem tapetes, têm a oportunidade de prestar as provas do ENCEJA e ENEM anualmente. Atualmente, o presídio local conta com um acervo de mais de 400 obras, cuja finalidade é a implantar uma biblioteca na Unidade para colocar em prática um projeto de incentivo à leitura que poderá também contar para a remissão de pena dos IPL’s”.

Sara afirma que muitos IPL’s encontram na ilustração uma maneira de preencher o tempo ocioso na prisão. “Por isso tivemos uma aceitação muito grande desse projeto e, com certeza, teremos de outros que já estão em processo de planejamento! Não podemos deixar de que agradecer a alguns advogados, alguns comerciantes locais, aos Supermercados JB e a Prefeitura que abraçaram essa causa e nos permitiram fazer essa cerimônia de premiação com a entrega dos prêmios: sacolinhas que continham produtos básicos de higiene e alguns alimentos”.

A Assistente Executiva de Defesa Social do Presídio ressalta que o vencedor do concurso interno que teve o trabalho selecionado para a etapa regional ficou muito feliz em ter a sua ilustração reconhecida e valorizada. “Ele ficou muito orgulhoso e estava muito ansioso para contar para os quatro filhos que tinha vencido esse concurso de desenho, então a gente percebe como uma simples oportunidade pode mudar e transformar a vida de uma pessoa”.

Já a psicóloga, Sarah Andrezza Brinck, destaca que ações sociais e culturais como o concurso de desenho fazem parte do processo de ressocialização proposto pela LEP – Lei de Execução Penal, n° 7.210 de 11 de julho de 1984 “A ideia é que os indivíduos privados de liberdade possam se qualificar, se aprimorar, evoluírem enquanto seres humanos. Temos de pensar na vida deles extramuros, no que podemos fazer para que haja oportunidades e possibilidades em terem uma vida digna depois que saírem daqui e não retornarem para o mundo do crime”.

A psicóloga ainda salienta que quando uma pessoa se sente valorizada, quando ela é tratada de maneira humanizada, isso tem reflexos bastante positivos no seu interior e consequentemente no seu comportamento. “O indivíduo cresce e se sente fortalecido quando percebe que é valorizado. Tivemos uma resposta muito positiva por parte de todos que participaram do projeto e era visível a empolgação deles, a vontade de contar sobre isso para os familiares. Alguns policiais penais elogiaram a iniciativa e disseram que o ambiente se transforma quando ocorrem ações desse tipo na unidade prisional”.

Sarah ressalta que a psicologia acredita que quando uma pessoa tem oportunidades para refletir, ela pode transformar o mundo ao seu redor. “Por isso, nós acreditamos que não só esses 25 IPL’s que participaram do concurso foram tocados por essa ação, esse tipo de atividade influencia e melhora o sistema das relações e vivências como um todo e é exatamente isso que queremos com essas atividades, estamos buscando novas perspectivas de vida”.

O prefeito Bruno Augusto afirma que o Executivo Municipal sempre será parceiro de ações que promovam a ressocialização de pessoas privadas de liberdade. “Estamos à disposição da unidade prisional para auxiliar no que for necessário e inclusive fizemos o convite para que esses desenhos sejam expostos no Paço Municipal”.

%d blogueiros gostam disto: