Em defesa de um amigo

Há dias venho me mantendo calado, silencioso, pensando e refletindo sobre a política frutalense e os rumos que partidos, candidatos e grupos políticos estão tomando. Porém, hoje, acho que a ‘gota d’água’ de meu silêncio chegou, ao tomar conhecimento que a Sra. Prefeita desse município, no afã de defender um candidato a prefeito de Frutal, atacou veementemente a postura de um dos homens mais honrados e corretos que tenho prazer de conhecer: o vice-prefeito Jair Heitor Duarte.

Tomei conhecimento do assunto primeiro por internet, depois por telefonemas, li o manifesto que o jovem Caio Heitor Duarte escreveu há algumas horas e, diante de tudo isso, chegou a minha vez de falar sobre o que eu penso disso tudo.

A prefeita dessa cidade está seguindo passo a passo o destino de seu marido e ex-prefeito, considerado o PIOR PREFEITO DA HISTÓRIA DE FRUTAL e único político  frutalense com o nome incluído nos FICHAS SUJAS pelo TSE. Zanto, ao encerrar seu mandato em 2000, deixou uma Frutal destruída não só política e financeiramente, mas moralmente também.

A prefeita, agora, parece querer seguir esse modelo burro, idiota e mesquinho de fazer política ao atacar Jair Heitor pelo simples fato dele não estar no palanque “mirabolado” por ela em torno de um candidato pelo qual não tenho simpatia alguma.

O “casal real” da prefeitura frutalense – sim, eles se acham reis e rainhas – jogou às favas qualquer resquício de honradez que pudessem zelar em torno de seus nomes ao atacar Jair Heitor no âmbito pessoal, mostrando a mesquinhez desse grupo que infelizmente comandará Frutal até o dia 31 de dezembro desse ano.

Acompanhei TODOS os discursos de Jair Heitor nos comícios de Toninho Heitor e Edgard e, JAMAIS, EM MOMENTO ALGUM, Jair atacou a “pessoa física” da prefeita, mas não poupou críticas à esse modelo administrativo que resultou em CEI e uma gravíssima acusação de desvio de R$10 milhões de reais da saúde frutalense. Jair não concorda com mandos e desmandos de uma administração gerida pela prefeita que manda cortar cestas básicas das pessoas que a peitam e dizem não engolir seus desmandos na política em torno de um candidato.

Jair Heitor nunca questionou os problemas pessoais envolvendo o casal real – e não precisa ser muito esperto para saber que houveram muitos no decorrer das últimas décadas – e, como pessoa séria, honesta e honrada que é, jamais deixou de dizer que até considerava a prefeita uma amiga. Porém, uma amiga teimosa que insistiu em ir pelo caminho tortuoso do mau-caratismo.

Solidarizo-me, nesse momento, a Jair Heitor, a Caio Heitor e a toda sua família pela atitude pequena e mesquinha da senhora prefeita. Faço das palavras do jovem Caio as minhas palavras ao discordar da Juventude do PSDB e do partido PSDB que aplaudem “insanamente” esse discurso de Ciça e, mais, apoiam a presença e permanência de Ciça e Zanto como “modelos” para juventude.

Estou licenciado do PSDB frutalense desde o início da campanha eleitoral justamente por não concordar que o partido pelo qual sou filiado desde o ano de 2.000 dividisse palanque com esse “casal real” que já deixou suas chagas na história de Frutal. E gostaria mesmo de perguntar aos amigos do PSDB frutalense se concordam com o que está acontecendo. Será que é esse o destino do PSDB frutalense? Será que um partido que sempre lutou pela ética e honradez verá esse ataque ridículo ao seu vice-presidente Jair Heitor e se manterá calado, aplaudindo essa situação?

Se essas forem as opções do partido, sinto que meu tempo de permanência na legenda se esgotará rapidamente – mesmo que a meu contragosto.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: