Segundona…

O primeiro mês das campanhas políticas praticamente já acabou. A partir de agora são mais 67 dias até às urnas. E apesar da ansiedade, até o momento os despachos da justiça eleitoral sobre os pedidos de impugnação não foram publicados. Assim que tiver novidades, posto.

==

Dia 11 de agosto tem debate na rádio 102FM. Diz-se que o tom não deve ser morno como no primeiro debate, da rádio 97FM e que é bem provável que questões mais apimentadas apareçam entre os candidatos.-

==

Algo que tem chamado muito a atenção é o silêncio que está se existindo a respeito de algumas questões envolvendo a prefeitura de Frutal. Uma delas é sobre o concurso público que já foi anulado em todas as instâncias, sendo que resta apenas um último recurso a ser avaliado. De qualquer forma, a prefeitura já perdeu a batalha em praticamente todas as esferas judiciais e parece que a população “acostumou-se” a essa situação. Será que a “bomba” ficará para o próximo prefeito resolver? Ou será que é hora de se cobrar de forma enfática que as autoridades judiciais tomem uma decisão?

==

Outra questão que tem incomodado é o silêncio do Ministério Público sobre as denúncias apresentadas pela CEI dos supersalários. A promotoria até agora não divulgou nenhum posicionamento sobre o assunto e parece que a acusação de R$10 millhões em desvios parece não ter peso nenhum. Da mesma forma que se mobiliza para protestar contra hemodiálise, corrupção e boatos, deveria também haver mobilização para cobrar do Ministério Público uma posição, não acham?

==

A cavalgada de Frutal ficou marcada pela  morte de um cavalo na avenida Brasil. O animal, aparentemente, não tinha condições de suportar o calor e o trajeto do percurso. De quem é a responsabilidade?

==

Quem acompanhou o desfile viu em vários momentos animais com nítido esforço para puxar várias pessoas em cima das carroças. Tentar minimizar o fato é bobeira. A população tem direito de saber sobre quem recai as responsabilidades por tal fato lamentável.

==

E se não entendemos de cavalo, entendemos de morte. A OPA – Organização de Proteção dos Animais – promete entrar de cabeça no assunto.

===

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: