Menor de 12 anos afirma ter sido estuprada por conhecido em Uberaba

O caso é de Uberaba, mas a lição pode valer para todos nós. Uma adolescente de 12 anos disse ter sido estuprada por um conhecido depois de marcar um encontro com o rapaz. Ela o conhecia e disse que quando marcou o encontro, esperava apenas “beijar” e “abraçar”. Mas, ao chegar na casa dele, afirma ter tido suas roupas arrancadas e ter sido obrigada, sob ameaça de morte, a consumar a relação sexual.

Reproduzo logo abaixo a matéria do Jornal da Manhã. Mas o fato chama a atenção de todos. Isso porque é cada vez mais comum que adolescentes tenham celulares e redes sociais e os pais devem estar atentos aos movimentos de seus filhos. Já ouvi alguns relatos “semelhantes” em Frutal e confesso ficar preocupado com informações com esta. Leiam a reportagem que aconteceu em Uberaba, mas poderia ter ocorrido aqui em Frutal ou em qualquer outra cidade do país:

“Deverá chegar à Delegacia de Orientação e Proteção à Família a queixa registrada na Polícia Militar, na noite de segunda-feira, segundo a qual uma adolescente de 12 anos garante ter sido estuprada por homem de 23. A garota relata que teve as roupas arrancadas com violência pelo rapaz e que, depois de ser ameaçada de morte, foi obrigada a manter relação sexual com ele. A menor já conhecia o acusado. Ele não foi preso.

De acordo com a dona de casa de 45 anos, sua filha de 12 relatou que na manhã de segunda-feira (29) estava na porta de uma escola estadual, no bairro Leblon, quando foi abordada pelo desocupado C.O.M., 23, o qual conduzia um veículo GM Corsa de cor roxa. A menor disse que já conhecia o desocupado e que frequentava a casa de parentes dela e, por telefone, marcaram o encontro. Porém, a adolescente acreditou que iriam “abraçar e beijar”.

Após entrar no carro, seguiram para a casa do desocupado, onde a menor teria sido agredida de forma violenta, teve a roupa arrancada do corpo e obrigada a manter relação sexual. Após a consumação do fato, a adolescente foi deixada novamente na porta da escola e outra vez foi ameaçada morte caso contasse aos seus familiares. Com medo, a estudante relatou o fato à mãe, que procurou pela Polícia Militar e, posteriormente, o pronto-socorro do Hospital de Clínicas da UFTM, onde a adolescente foi medicada e orientada.

O homem acusado de cometer o estupro de vulnerável, segundo a polícia, possui passagens por furto e tráfico de drogas e não foi localizado.”

rf2015d

 

chaplin

%d blogueiros gostam disto: