Índice de dengue no município alcança resultado positivo há tempo não visto, segundo levantamento do Núcleo de Endemias

(Por Assessoria de Comunicação da SMS)

Bem que dizem que quando se trabalha em equipe o resultado não pode ser outro a não ser objetivo alcançado. Foi isso que aconteceu com Frutal que há muito tempo não conquistava números tão bons no que diz respeito aos casos de Dengue, Zika Vírus e Chicungunya.

Para se ter ideia, no ano passado, de acordo com o Levantamento de Índice Rápido para Aedes Aegypti – LIRA, a cidade registrou um dos índices mais elevados de focos do mosquito: 7%, quando o limite máximo aceitável é de 2%. Ainda segundo o levantamento feito este mês e apresentado pelo Núcleo de Controle de Endemias, desta vez o município teve apenas 1,98% de presença do mosquito Aedes, ou seja, bem abaixo do que foi constado em 2020.

E os números positivos não param por aí. Ainda segundo o LIRA, no ano passado o município teve 827 casos suspeitos de dengue, 592 positivos, 37 notificações de Zika Vírus e 15 de Chikungunya, sendo um caso positivo para ambas as doenças.

Já em 2021, os números chamam a atenção também pela queda expressiva em todos os cenários. Com o ano já chegando ao fim, até agora Frutal teve 100 casos suspeitos, 41 positivos e nenhum de Chicungunya ou Zika Vírus.

No entanto, apesar dos números serem bons, o coordenador do Núcleo Jovino Adriano Ambrósio Baldo alerta a população para que continue fazendo a sua parte, principalmente eliminando os objetos que podem acumular água, onde ainda foi encontrada a maioria dos focos do mosquito, como bebedouros e lixo domésticos e depósitos de água.

Conforme reconhece Jovino Adriano, os bons resultados do índice de Dengue se devem aos mutirões de limpeza realizados no início do ano pela Prefeitura que contou com a participação dos moradores, ao apoio irrestrito por parte do atual governo Bruno e Jerry e ao trabalho em parceria com as Secretaria de Saúde, de Obras e pátio municipal na solução das demandas que são apresentadas pelo Núcleo. “Devido ao percentual de infestação de 2% o município de Frutal foi classificado como de médio risco para surto ou epidemia para arboviroses segundo o Ministério da Saúde”, informou.

Sobre a utilização do fumacê muitas vezes reivindicada, Jovino Adriano explica que o município no momento não necessita da aplicação do produto devido ao baixo número de casos suspeitos de dengue.

Conforme lembra, o Ministério da Saúde preconiza o coeficiente de 300 casos suspeitos para cada 100 mil habitantes nas últimas quatro semanas, sendo que Frutal teve apenas um caso suspeito. Além disso, caso seja necessária sua utilização, não cabe ao município definir e sim, ao Estado de Minas liberar ou não o uso do fumacê.

Tahine Netto

Estagiária do Blog do Portari.

%d blogueiros gostam disto: