Além do outubro rosa: conheça as cores de campanhas que visam a conscientização e prevenção do câncer

O Brasil deve registrar 625 mil novos casos de câncer neste ano, conforme estimativa do Inca, o Instituto Nacional de Câncer. A doença ocupa o segundo lugar na lista das enfermidades que mais matam no Brasil. Com números tão expressivos, se faz cada vez mais necessário campanhas que visam informar e conscientizar a população da gravidade da doença. E nessa luta as cores se tornaram aliadas da prevenção.

Fernanda Savoi Mendes, professora do curso de enfermagem da Faculdade Pitágoras, conta como as cores foram adotadas nas campanhas de prevenção. “A campanha de cores teve início na saúde, primeiramente com o outubro rosa que ocorre há mais de 20 anos a fim de alertar sobre o câncer de mama. As campanhas foram crescendo e foram adicionando mais cores e criando campanhas mensais para determinadas doenças. Hoje, o Ministério da Saúde possui aproximadamente 85 campanhas que são realizadas ao longo do ano para a conscientização de doenças”. A especialista em terapia intensiva adulto destaca, ainda, os benefícios que as cores trazem para a saúde. “Elas são fundamentais em nossas vidas, com suas tonalidades e intensidades que são curativas e relaxantes. Elas têm a capacidade de despertar sentimentos como calma e felicidade”.

Neste mês e no próximo, as campanhas de prevenção aos cânceres de mama e próstata ganham notoriedade com o Outubro Rosa e o Novembro Azul. Fernanda Savoi defende que falar sobre essas doenças é fundamental para obter bons resultados no tratamento. “É importante falar sobre elas pois a detecção precoce é fator decisivo para um bom tratamento e recuperação. Outubro Rosa e Novembro Azul são campanhas essenciais para a promoção da qualidade de vida da população, por meio da conscientização das pessoas acerca dos dois principais tipos de cânceres que acometem homens e mulheres”, destaca a docente.

O Brasil deve registrar mais de 66 mil novos casos de câncer de mama neste ano, segundo o Inca. Ele é o tumor mais frequente em mulheres em todo o mundo. Apesar dos altos índices, a sociedade ainda nutri certo tabu para falar sobre ele. “A mulher, apesar de procurar com mais frequência a atenção à saúde, possui resistência aos aspectos relacionados à mama, uma vez que envolve falar de sua sexualidade e feminilidade, além de mutilações historicamente exemplificadas nos primeiros diagnósticos”, explica Fernanda Savoi. Com a pandemia, o mundo registrou queda no número mamografias como exame preventivo. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) registrou apenas 1,1 milhão de exames pelo SUS no primeiro semestre de 2020, percentual que representa uma queda de 45% em comparação ao mesmo período de 2019.

Já sobre a saúde do homem, a enfermeira conta que é preciso trabalhar para desmistificar algumas crenças. “Com relação ao câncer de próstata, culturalmente o homem possui muita resistência em procurar um serviço de saúde para o autocuidado, além do exame físico (toque retal) de alguma forma mexer com o indivíduo em relação a sua masculinidade”. O Inca aponta que o tumor é o mais comum entre a população masculina e representa 29% dos diagnósticos da doença no Brasil.

Abaixo, confira o calendário de cores de algumas campanhas de prevenção que são realizadas ao longo do ano:

Prevenção ao câncer

• Fevereiro Laranja: leucemia

• Março Lilás: câncer do colo do útero

• Março Azul-marinho: câncer colorretal

• Julho Verde: câncer de cabeça e pescoço

• Julho Amarelo: câncer ósseo e hepatites virais

• Setembro Verde: câncer de intestino

• Setembro Dourado: câncer infanto-juvenil

• Outubro Rosa: câncer de mama

• Novembro Azul: câncer de próstata

• Dezembro laranja: câncer de pele

Outras prevenções e conscientizações

• Janeiro Branco: saúde mental

• Fevereiro Roxo: lúpus, fibromialgia e mal de Alzheimer

• Abril Azul: autismo

• Maio Amarelo: acidentes de trânsito

• Junho Vermelho: doação de sangue

• Agosto Laranja: esclerose múltipla

• Agosto Dourado: aleitamento materno

• Setembro Amarelo: suicídio

• Dezembro Vermelho: HIV

Tahine Netto

Estagiária do Blog do Portari.

%d blogueiros gostam disto: