Vereadora Irma requisita prioridade na vacinação de professores para retorno das aulas presenciais

A vereadora Irma Rezende da Rocha solicitou o envio de representação ao deputado Arnaldo Silva para que interfira junto ao Governo de Minas e órgãos competentes para o atendimento de demandas da educação no município de Frutal.

Ela requer a priorização da vacinação contra a Covid-19 dos professores e servidores da educação pública e privada, o que é fundamental para possibilitar o retorno das aulas presenciais; bem como os estudantes universitários que estudam em Frutal e outras cidades.

Irma também pediu para conseguir uma atenção especial às reivindicações da UEMG Frutal, principalmente na tramitação do processo de anexação dos laboratórios da extinta Hidroex, como extensão dessa universidade.

A vereadora explica que tem havido muita pressão por parte dos pais que desejam o retorno das aulas presenciais. Entretanto, ela entende que para isso ocorrer, é preciso ser feito com segurança após a vacinação dos professores e servidores da educação.

Segundo ela, o governador Romeu Zema já expressou desejo de disponibilizar a vacina a estes profissionais, mas ainda sem data definida. A vereadora expõe ainda que algumas escolas da rede privada já retornaram as atividades.

“Em alguns estados, os professores já estão sendo vacinados. Então, Minas Gerais está um pouco atrasado em relação a isto. Os alunos precisam de mais segurança para voltar para a escola”, diz.

Ela ressalta que, a respeito da UEMG, a unidade de Frutal tem uma boa estrutura, mas para desenvolver novos cursos, como Medicina Veterinária, por exemplo, é fundamental ampliar o número de laboratórios, equipando-os adequadamente.

A vereadora lembra que os estudantes já informaram que existe um processo em tramitação junto ao MEC, no sentido de anexar esses laboratórios da extinta Hidroex, mas é necessária a vontade política para a concretização de tal medida.

“Para o curso de Medicina Veterinária, precisamos de novos laboratórios e infraestrutura adequada. Sem isso, há poucas possibilidades de novos cursos chegarem até Frutal. Precisamos de cursos como Enfermagem e outros tecnológicos, mas é impossível sem esses laboratórios”, informa.

A vereadora ressalta que os laboratórios do Hidroex pertencem ao Estado e não a UEMG. Apesar de estarem com construção adiantada, eles foram depredados devido a constantes invasões por falta de vigilância e cercamento, que atualmente foram providenciados. “Aguardamos os esforços do parlamento para solucionar estas questões para o município de Frutal”, concluiu.

%d blogueiros gostam disto: