Profissionais da saúde são treinados para lidarem com capacetes Elmo

Por Assessoria de Comunicação da SMS

Nos dias 28 e 29 de abril médicos e profissionais da área de enfermagem que atuam no Hospital Frei Gabriel foram capacitados para lidarem com capacetes Elmo, considerado fundamental para evitar a intubação de pacientes, reduzindo em 60% a necessidade de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), tratando quadro clínico moderado e auxiliando nos casos em início de gravidade.

O treinamento foi ministrado pelo fisioterapeuta Intensivista Rafael Finotelli Pires, de São Paulo e pelo enfermeiro Michel Franklin, que atua na área de gestão do Instituto Social de Saúde São Lucas – ISSSL, empresa responsável por administrar o hospital.

O capacete Elmo feito à base de material plástico e borracha, acoplado ao pescoço que foi idealizado e produzido no Ceará no início da pandemia do coronavírus no Brasil em 2020, chegou a Frutal em abril deste ano por intermédio Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Dados mostram que Frutal tem apresentado um número crescente de internações e o Hospital Municipal Frei Gabriel tem 70% a 80% de ocupação de leitos de enfermaria para tratamento a pacientes com diagnóstico de COVID-19 e com um número significativo de transferências através do serviço de Regulação Municipal para outros municípios por necessidade de leitos UTI (indicação de intubação oro-traqueal). “Por isso, a preocupação do Instituto em realizar o quanto antes esse treinamento para minimizar o uso desta intubação”, informa.

No treinamento teórico e prático, o enfermeiro Michel Franklin falou sobre a estrutura dos equipamentos, a implantação do atendimento, os protocolos a serem obedecidos, e por meio de simulações, mostrou como utilizar de forma adequada os capacetes. Após capacitar 100% dos funcionários e médicos que atuam no hospital, a intenção é estender o treinamento aos que trabalham no Ambulatório de Atendimento à Covid (no prédio da antiga FAF). “O treinamento é importante porque promove o tratamento respiratório e ventilatório ao paciente no qual ele realmente necessita”, destaca.

Em termos técnicos, explica Michel Franklin, por ser capaz de manter um percentual de oxigênio nas vias aéreas (21% – 100%), associada à pressão positiva contínua, o Elmo proporciona aos pacientes com insuficiência respiratória, a exemplo do quadro gerado pela COVID-19, a recuperação da função pulmonar.

Em Frutal, nenhum paciente ainda utilizou do capacete isto porque, conforme explica Michel, primeiro é necessário finalizar a capacitação dos profissionais para em seguida realizar a finalização e a parte técnica do processo. “A indicação envolve uma avaliação física, laboratorial (gasometria arterial) e processo de implantação e psicológica”, informa.

Assim que as etapas forem concluídas, o Instituto irá validar o tratamento, o hospital estará preparado para realizá-lo, o médico sentirá mais seguro para indicá-lo e o paciente terá uma resposta mais positiva e significativa para o seu tratamento e não precisará ser induzido a uma intubação orotraqueal. “A previsão é que Frutal já esteja utilizando os novos capacetes num prazo de 15 dias”, afirma o enfermeiro.

%d blogueiros gostam disto: