Sérgio e Leandro são empossados em Fronteira

Em cerimônia realizada às 15h de ontem, na Escola ABC, Sérgio Cóxa e Leandro Pineis foram empossados como prefeito e vice-prefeito de Fronteira. Seguindo todos os protocolos sob supervisão da Vigilância Sanitária, o evento reuniu bom número de pessoas que foram prestigiar o início do terceiro mandato de Sérgio frente à Prefeitura. E, já em seu discurso, Cóxa adiantou: a situação econômica de Fronteira é grave e está assumindo uma Prefeitura extremamente fragilizada, com grandes dívidas, veículos estragados e com dificuldades financeiras.

“Os mandatos podem mudar, mas eu continuo a pessoa honesta, correta, que não promete o que não pode cumprir e que diz não da mesma forma que diz sim. Eu entrei na vida pública para fazer tudo da forma correta. Político não pode mentir para a população como já mentiram na minha cidade. Questões básicas todas eu resolvi em meus dois primeiros mandatos, de construção de Prefeitura, de Câmara, de Cemitério, 60% do asfalto, 60% do esgoto, duas escolas, duas creches, três PSFs, reforma do hospital, APAE, Cerea, mais de 400 casas, e por aí vai. Esse é outro mandato e vou repetir o que eu disse na campanha: esse mandato será focado em saúde, assistência social, pagamento do funcionalismo em dia e vamos zerar a taxa de iluminação pública. Se fizermos mais que isso, parabéns, é lucro. Mas teremos zelo com a coisa pública e vamos fazer mais com menos dinheiro”, ressaltou em entrevista ao Blog do Portari.

Ao ser perguntado em como herda o governo, Sérgio foi taxativo: “essa é uma notícia ruim, muito ruim!”. Segundo o prefeito, conduzir o município não é um campeonato de beleza, é um local onde é preciso provar a capacidade de gerir o bem público o que, na opinião de Cóxa, não aconteceu no último mandato. “Foi dito que a população seria atendida no Hospital de Base de Rio Preto no primeiro dia, que faria isso mandando quatro pessoas embora. Eu já dizia que não promteria isso porque era impossível, porque eu não quero ser chamado de mentiroso assim como eu o chamei a vida inteira. E ainda há um passivo enorme. Temos uma van da saúde presa na oficina em Rio Preto há 10 meses por falta de pagamento do serviço. No laboratório de exames há uma dívida de R$230 mil. Há uma dívida de R$140 mil com uma farmácia de manipulação. Só para uma empresa de Uberlândia que ele gastou R$9 milhões com essa empresa, ainda deve R$3,4 milhões. Para todos lugares que olhamos as notícias são as piores possíveis. Funcionalismo recebendo atrasado. Ele entregou o hospital mas, antes disso, não tinha dipirona, não tinha soro, não tinha oxigênio. Hoje, dia 1, eu já fui lá e coloquei o oxigênio, porque temos crédito para fazer isso”, desabafa.

Fora isso, Sérgio afirma que a Prefeitura está com a frota totalmente comprometida e sem condições de rodar. Por isso, deve entrar com a Prefeitura fechada, até poder realizar as adequações necessárias para poder pagar o servidor público em dia, que é uma de suas metas prioritárias. “Só vamos fazer nosso programa na medida de poder pagar em dia os funcionários, que são meus companheiros e eu não vou sacaneá-los. Nunca discuti com um funcionário, nunca gritei, nunca humilhei nenhum servidor. Estou entrando com uma equipe inteligente e generosa dentro daquilo que pudermos fazer”.

Para Cóxa, verdade, transparência, respeito aos servidores e ao dinheiro público serão suas principais marcas desse terceiro mandato. “O meu trabalho como político é um exercício de amor, não é um exercício de perseguição de funcionários que votou contra mim, nada nesse sentido. Meu exercício de trabalho é de amor. O futuro virá e nós provaremos que somos melhores gestores do que o que estava ali. Vamos respeitar as pessoas e vamos construir casas. Em quatro anos não tivemos uma casa construída. Houve muito desperdício de dinheiro. Isso eu não farei com o povo de Fronteira. Tenham confiança no futuro. Eu prometi e vou cumprir”.

Vice-Prefeito

No mesmo sentido de Sérgio, o vice-prefeito Leandro Pineis, agradeceu a população pela confiança para a missão de conduzir a Prefeitura o que, na opinião dele, não é um terreno plano, mas sim que está totalmente danificado. “O Sérgio todos conhecem a capacidade de gestor e sabemos o que é Fronteira antes e depois dele. A nossa missão será complicada e temos consciência disso. Hoje já vimos um caminhão de lixo com todos os pneus furados, outro com o motor danificado, pá-carregadeira travada. Não podemos falar apenas de uma dívida de R$15 milhões, mas teremos um custo alto para arrumar a frota. A demanda será grande e com a experiência do Sérgio e a nossa vontade de fazer o melhor, acredito que em breve teremos novos ares em nossa cidade”, ilustra.

Leandro destacou a importância da experiência de Sérgio como prefeito e a dele como vereador por dois mandatos. Para ele, esse será um diferencial para essa gestão, já que conhecem todos os trâmites e andamento do poder público. “As pessoas acreditaram muito no nosso trabalho e no meu nome também. Chego agora já com experiência da vida pública e sei que as pessoas depositaram a confiança em nós. E já foi deixado claro pelo Sérgio: eu não serei apenas um vice, terei participação ativa e efetiva no mandato. Sempre fui um dos vereadores mais atuantes da Câmara e agora vamos atuar de forma efetiva para a população”.

%d blogueiros gostam disto: