Perguntas e respostas

“Quando você pensa que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas” – Luís Fernando Veríssimo.

E não é que Veríssimo tem razão? Muitas das vezes achamos que temos as respostas para as perguntas da vida ou, pelo menos, para aquelas mais urgentes. Quando começamos a nos satisfazer por ter entendido o que se passava naquele momento, eis que sempre surge algo novo, diferente e que acarreta em inúmeras outras perguntas.

A incerteza das perguntas – e das respostas por conseqüência – dão um sabor a mais à vida. São pelas inquietudes que nos movemos, nos dispomos a ler, estudar, pensar, discutir, debater ou, mesmo, ignorar determinados assuntos e pontos de vista. O sentir-se incomodado faz bem a todos. Nada contra os que estão “conformados” com alguma coisa (será que estes existem?), mas penso que a partir do momento em que “deixamos a vida nos levar” sem questionar as perguntas – e respostas – que temos diante de nossos olhos, a vida perde um pouco de seu tempero.

Sei que não é fácil saborear o amargo gosto das lágrimas. Muitas das vezes, fruto de decepções, raivas ou mesmo perdas. Da mesma forma que sei que o doce do sorriso nem sempre brota com aquela doçura de mel e que muitas vezes ele surge apenas para esconder o que, no fundo, estamos pensando ou vivendo.

E nesse jogo de risos e lágrimas, afetos e desafetos, altos e baixos, a vida vai passando. Saímos da infância, entramos na puberdade, vida adulta até chegar à velhice que, para uns, é a Melhor Idade, para outros, apenas a chance de olhar para trás e se perguntar: como será de agora para frente?

Sim, as perguntas são muitas. As respostas, também. Algumas delas, dúbias. E quando alcançamos uma resposta concreta, eis que seu sentido – e talvez sua relevância – se esvaem no mesmo instante. Oras… será que uma resposta leva a outra pergunta? Será que uma pergunta sempre suscitará novas respostas que irão gerar outras perguntas num movimento de rotação eterno? Não sei. E mesmo que soubesse, certamente, questionaria mais uma vez. E começaríamos tudo de novo…

Entre tantos encontros e desencontros, vou ficando por aqui. Com a certeza de que essa pequena reflexão sobre perguntas e resposta irão gerar novas perguntas e novas respostas. Seja em mim, assim que apertar o último ponto final desse texto, seja em você, que dispôs de alguns preciosos minutos de vida para embarcar comigo nessa viagem.

==

==

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: