Acusado de matar homem a facada no XV é condenado em Frutal

Sessão do Tribunal do Júri na manhã deste dia 22 de outubro condenou a 15 anos e 6 meses de prisão o réu Darlison Nascimento Bata (Dadá), acusado de ter matado Raimundo Antônio Amorim Costa (Baixinho) com um único golpe de faca no coração na noite do dia 7 de dezembro de 2019. O caso aconteceu na esquina da avenida Brasília com a rua Antônio de Paula, no bairro XV de Novembro.

A sessão foi presidida pelo juiz Gustavo Moreira e teve como representante do MP o promotor Fabrício Costa Lopo. De acordo com a denúncia, na noite do crime o autor agiu por motivo torpe e de forma a impossibilitar a defesa da vítima, desferindo uma facada no peito mas que teria sido dada pelas costas da vítima. Já a defesa alegou que Dadá apenas se defendeu após ter sido ameaçado pelo autor.

O Conselho de Sentença acatou a tese do Ministério Público e reconheceu o crime como homicídio qualificado, o que resultou na pena de 15 anos e 6 meses de prisão. Cabe recurso da decisão.

Confira a notícia no dia do crime

Já as 23h15 e a PM foi acionada via 190 para comparecer à avenida Brasília, esquina com a rua Antônio de Paula Silva, no XV de Novembro, onde conforme informações havia um homem caído ao solo com ferimento a faca. As viaturas se deslocaram rapidamente para o local e, chegando lá, foram avisados de que Raimundo Antônio Amorim (Baixinho), de 52 anos, caído próximo a uma bicicleta e que a vítima teria sido levada pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Frei Gabriel.

Apesar do socorro, Raimundo já chegou sem vida ao hospital. Conforme a equipe médica de plantão ele apresentava uma perfuração do lado esquerdo do peito. Em contato com a namorada da vítima, ela relatou que esteve com Baixinho até as 18h, não tendo mais contato depois deste horário. Também disse desconhecer qualquer desafeto e que se tratava de uma pessoa que se dava bem com todos.

Ela relatou, no entanto, que há uma semana estava na casa da vítima, na rua Minas Gerais, quando pediu a ele que fosse comprar cigarro em um bar que fica na rua Oriente, esquina com a avenida Brasília. E que ao retornar Baixinho estava exaltado, dizendo que fora acusado de furtar R$150 de um homem. No entanto, ela não soube dar características desta pessoa que o acusou há uma semana.

Ocorrência registrada e agora o caso segue para investigação da Polícia Civil de Frutal.

%d blogueiros gostam disto: