Fala, Portari

Se tem algo que vez ou outra nos diverte, são as crianças. Principalmente quando elas têm aquela naturalidade de falar coisas surpreendentes que, no mundo adulto, talvez não falaríamos para não soar estranho ou mesmo ser mal interpretado. Em casa, convivo com o meu João Daniel que, do alto de seus 5 anos e meio, sempre solta frases de efeito nas horas mais inusitadas e que nos leva a muitas gargalhadas.
Uma das últimas vezes em que João foi o “destaque” da roda de conversa foi em um encontro com alguns amigos onde alguns assuntos eram colocados em dia. João, ouvindo atentamente, descobriu que uma das pessoas tem uma frota de táxi ou, nas palavras do João, Uber (para ele, é tudo a mesma coisa).
Aí, resolvemos “cutucar o João”:
– Ei, você quer ir lá andar de Uber com ele?
João olhou atentamente para nosso amigo, pensou, apontou o dedo para ele rapidamente e falou:
– Mas é de graça, viu!
Risadas para todo lado.
Momentos antes dessa prosa, João havia ouvido que outro colega da conversa trabalha como produtor de grãos, e falávamos sobre a safra deste ano. João gosta de tratores e já tinha se interessado no assunto e dito que ia na fazenda para andar de trator também. No que ouviu o “convite” para andar de táxi, nosso outro colega falou:
– Ei, mas andar de trator também é de graça, viu!?
E o João:
– O trator é de graça?
– Sim, é de graça.
– Ah, então vou comprar um pra mim!
Mais gargalhadas.
Enfim, são situações como essas que deixam os dias um pouco mais leves. Que a gente pudesse ter a naturalidade – e inocência – das crianças mais vezes em nossas vidas.
Bom sábado a todos!

%d blogueiros gostam disto: