TSE tem parceria com WhatsApp para denúncias

O acordo com o Whatsapp prevê a criação de um formulário para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa.

Recebidas as denúncias, o WhatsApp conduzirá uma apuração interna para verificar se as contas indicadas violaram os termos de serviço e políticas do aplicativo sobre disparo em massa e os serviços de mensagens automáticas. As contas identificadas podem ser suspensas da rede social. O canal será desativado no dia 19 de dezembro, com o fim do processo eleitoral deste ano.

O TSE também colaborou para a criação de uma plataforma dentro do WhatsApp Business (Application Programming Interface – API), um Chatbot, para ajudar na circulação de dados corretos. A ferramenta foi desenvolvida gratuitamente pela empresa Infobip, sem custos para o tribunal.

A intenção foi ajudar na comunicação direta com os eleitores. Basta salvar o número 61-9637-1078 na lista de contatos e iniciar conversa com o canal interativo, que disponibiliza as principais informações das eleições.

Por fim, o WhatsApp permitirá que o TSE envie mensagens, para eleitores que se cadastrarem em todas as ferramentas do tribunal, sobre cuidados sanitários e para rebater informações falsas que circulem durante a campanha eleitoral. Trata-se da primeira parceria do tipo com um tribunal eleitoral ou órgão responsável pelas eleições no mundo.

O WhatsApp também permitiu que o tribunal elaborasse stickers (figurinhas) sobre a temática eleitoral para uso pelos usuários da ferramenta. E durante o mês de setembro, ofereceu cursos on-line que capacitaram servidores e colaboradores do TSE e dos TREs sobre as medidas de combate à desinformação adotadas pela plataforma e aspectos práticos de como atuar e promover a comunicação sobre os processos eleitorais em seu âmbito.

Confira o memorando de entendimento entre o TSE e o WhatsApp

%d blogueiros gostam disto: