Cabo Lélio “pendura o coturno” em aposentadoria na PMMG

Um dos maiores ícones da Polícia Militar em Frutal “pendurou o coturno” exatamente à 0h. do dia 12 de setembro. Lélio Lisses Cardoso, o cabo Lélio, o Crocodilo Dundee de Frutal, encerrou sua carreira como policial militar para desfrutar de uma merecida aposentadoria.

Falar da PM nos últimos anos e não falar de Lélio, é um tanto quanto difícil. Seja pelo bom humor, seja pelo lado humano mas, principalmente, pela bravura com que sempre desenvolveu seu trabalho na PM e, mais especificamente em Frutal.

Conheci o Lélio ainda na década de 1990. Depois, como repórter, na virada do século XX para o XXI (isso, lá no ano 2000), passei a acompanhar mais de perto o trabalho dele na nossa cidade. Foram centenas de horas de entrevistas, milhares de fotos e muitas, muitas situações em que pude testemunhar a dedicação dele para com o serviço e a nossa cidade. Fazer uma homenagem a um amigo que pendura a farda, é até difícil. Porque estou tão acostumado e “trombar” com ele pelas ruas na viatura que realmente vai fazer falta saber que não teremos ele nas ocorrências da cidade.

Então, revirei meus arquivos e encontrei uma entrevista que fiz com Lélio em 19 de novembro de 2003, que foi publicada em uma reportagem na Edição 517 do Jornal Pontal do Triângulo, que circulou em 21 de novembro daquele ano. Não vou me ater a colocar o contexto da reportagem. Vou reproduzir, apenas, seu título e o trecho daquela conversa com o Lélio. E, assim, espero apenas dizer para ele: Obrigado, meu parceiro! Você realmente batalhou por Frutal. Agora é hora de curtir a aposentadoria!

Grande abraço!

“Depois de minha família, a ROTAM é minha vida”

Integrante do quadro da Polícia Militar há oito anos, sendo dois como membro da ROTAM, Lélio concorda que esta equipe, que é preparada para enfrentar os piores tipos de operações que são desencadeadas, causa polêmica tanto em Frutal como em todo o estado. “Por termos que lidar com os mais diversos tipos de abordagem, chegamos fazer até 200 por noite de serviço, é difícil agradar a todo mundo”, afirma.

Ele, que já passou por situações como troca de tiros, fuga de detentos da cadeia local e também na perseguição a bandidos perigosos, como a quadrilha que assaltou a joalheira Suprema, tem em seu currículo cerca de 50 elogios por operações em que teve sucesso com sua equipe.

Sendo um dos ícones da polícia de ronda ostensiva, o militar é figura conhecida em toda região, sendo que muitos o apontam como a verdadeira cara da ROTAM. E, para entender o que significa o trabalho para Lélio, é muito fácil, basta conferir sua resposta ao ser perguntado sobre o que significa a ROTAM para ele: “Depois da minha família, a ROTAM, para mim, é minha vida”, contou emocionado.

%d blogueiros gostam disto: