GAECO desencadeia Operação Cafezinho contra fraudes em movimentação de gado

O GAECO de Uberaba desencadeou nessa manhã a Operação Cafezinho, fruto da investigação a falsificação de documentos públicos – Guias de Trânsito Animal (GTA) e notas fiscais de compra e venda de gado – e inserção de dados falsos em sistemas de
informações, além de reiteradas práticas de corrupção ativa e passiva, envolvendo diversas pessoas ligadas ao agronegócio. Um funcionário do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) foi apontado como o responsável pelas falsificações.

As investigações tiveram início em janeiro de 2019. Durante as investigações, constatou-se que o funcionário do IMA
utilizava-se de sua função para alterar cadastros de produtores, realizar lançamentos fictícios de movimentação de gado, alterar expedição de notas fiscais, dentre outras práticas, com o fim de “ajustar” movimentações de gado que ocorreram clandestinamente, sem pagamento dos referidos impostos.

Ficou destacado o recebimento de propina por parte do agente, bem como a identificação dos corruptores, que repassavam os valores indevidos
frequentemente ao funcionário do IMA. O autor utilizava contas própria e da filha para recebimento da propina, auferindo, pelo menos, cem mil reais ao longo de um ano e nove meses.

Além do funcionário do IMA, uma empresária do ramo de transporte
de gado também foi alvo de buscas. Durante o período das investigações,
destacou-se a prática de corrupção ativa por sua parte, através de transferências mensais ao autor.

Além dela, foram identificadas diversas pessoas ligadas ao agronegócio suspeitas de praticar atos de corrupção e/ou falsificação documental. Hoje foram cumpridos 02 (dois) Mandados de busca e apreensão, ambos na cidade de Uberaba-MG. Além dos mandados, foi determinado o afastamento do cargo do funcionário por 180 (cento e
oitenta) dias, com possibilidade de prorrogação.

Participaram da Operação “cafezinho” 03 (três) Promotores de Justiça, 01 (um) Delegado, 06 (seis) Policiais Civis, 01 (um) Policial Penal, Agentes do GAECO, 07 (sete) Policiais Militares e 06 (seis) agentes da Receita Estadual.

%d blogueiros gostam disto: