Rio Preto tem 2 casos curados e 12 confirmados

Com 12 casos confirmados e 152 em investigação, Rio Preto tem dois casos de coronavírus curados. Na região, são 314 ocorrências sendo analisadas e 14 confirmadas, mas as enfermarias e UTIs dos hospitais estão cheias de gente com doenças respiratórias, que tanto podem ser vírus de gripe comum quanto de Covid-19.

Os dos primeiros pacientes que tiveram a doença confirmada em Rio Preto já estão curadas e puderam ser liberados do isolamento por causa da contaminação – eles devem continuar em casa, mas porque a recomendação é essa para todos os moradores da cidade.

A primeira é uma mulher de 28 anos que viajou por Alemanha, Itália e Bélgica e retornou ao Brasil em 10 de março. O segundo é um homem que passou por São Paulo e Santa Catarina e chegou a Rio Preto no dia 13 deste mês, já com os sintomas da doença. Os dois tiveram sintomas leves e nem precisaram ser internados, ficando em isolamento domiciliar. Como a doença é nova, não se tem a exata resposta se eles poderiam contrair o vírus novamente. Andreia Negri Reis, gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Preto, já explicou em coletiva de imprensa que cada um contrai várias vezes gripe ao longo da vida, então a lógica seria que sim, é possível ser contaminado com coronavírus mais de uma vez.

Há ainda 152 casos em investigação em Rio Preto. São 56 pacientes internados, entre confirmados e suspeitos, 19 deles em UTI – desses, três estão com Covid. Três mortes estão sendo investigadas, a mais recente delas a de um idoso de 91 anos, que faleceu neste sábado, 91, na Santa Casa. Ele tinha pneumonia e foram coletadas amostras de fluidos respiratórios, que foram enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

O Hospital de Base tem 100 leitos de enfermaria e 50 de UTI previstos para coronavírus e a Santa Casa adaptou 22 leitos que seriam comuns para alta complexidade, para atender pacientes com gripe. As autoridades temem um colapso no sistema público, a falta de equipamento de segurança para os profissionais e a Secretaria de Saúde de Rio Preto não descarta montar um hospital de campanha se a epidemia vier com força. Com uma taxa de mortalidade de 2,9%, o Brasil tem 114 óbitos pela deonça.

O contágio de coronavírus é exponencial. Com receio do avanço do doença, a Secretaria de Saúde determinou que os hospitais Santa Casa e Hospital de Base cancelassem as cirurgias que não fossem de urgência e a recomendação se estender aos particulares. A reportagem apurou que essas operações serão absorvidas pelo Hospital João Paulo II, que atende Rio Preto e região e possui convênio com a Secretaria de Estado da Saúde. Normalmente, são cerca de 2,2 procedimentos, pequenas cirurgias e operações por mês, mas esses números terão de ser reavaliados conforme a complexidade dos casos que serão encaminhados para a instituição. Exames e consultas em unidades municipais, do Hospital de Base e da Santa Casa que podem ser postergados também estão sendo desmarcados.

A preocupação é manter as Unidades de Terapia Intensiva (UTI) o mais livres possível. Normalmente são 205 leitos, mas os hospitais estão trabalhando para ampliar a capacidade para atender a demanda de pacientes com síndrome respiratória.

Fonte: Diário da Região

%d blogueiros gostam disto: