Toninho Heitor: não se pode improvisar na administração pública

 

Toninho Heitor
Toninho Heitor

Ex-prefeito de Frutal por duas vezes, o arquiteto Toninho Heitor (PTB) diz estar disposto a ir para uma terceira disputa eleitoral no âmbito municipal. Em sua entrevista, destaca ter cursado pós-graduação em administração pública buscando aprimorar os conhecimentos e experiência que teve em suas duas passagens e, ainda, afirma ter aprendido com erros e acertos durante suas duas gestões.

Atualmente Toninho Heitor atua junto à Cohab na região, e afirma que o próximo administrador precisa ter um bom plano de trabalho para conseguir administrar Frutal.

Confira a entrevista:

1 – Em sua avaliação, qual é o principal desafio de Frutal pra os próximos 4 anos?

TH – Acho que o desafio não é só em curto prazo. Mas o desenvolvimento urbano e rural e a industrialização para a geração de têm que ser metas obsessivas do administrador. Não se pode improvisar na administração pública. Precisamos ter planejamento para alcançar as metas com sucesso; gestão adequada nas finanças públicas; competência nas ações de governo, comprometimento, transparência nos atos administrativos e no relacionamento com o Poder Judiciário, Ministério Público e Câmara de Vereadores, com os nossos deputados, com os governos Estadual e Federal e, principalmente, com a participação da sociedade organizada. É claro que isso estabelece um norte, mas há muitos desafios, começando pela revisão e implementação imediata do Plano Diretor. Outro gargalo é a questão do Hospital Frei Gabriel, que considero uma espécie de segunda prefeitura. Precisamos convocar os clubes de serviço para assumir a Fundação Frei Gabriel e fazer com que ela cumpra seu papel de forma efetiva e trabalhe pela gestão hospitalar profissionalizada e humanizada com toda transparência na lida diária dos recursos repassados e no atendimento eficiente à população.

2 – Como você vê a importância da UEMG e do Hidröex para a cidade?

TH – A UEMG está transformando Frutal na cidade universitária que tanto sonhamos. Participamos de todas as reuniões para trazer a UEMG e autorizando, como prefeito, a contratação de um consultor para aprovar e viabilizar a aprovação e criação do campus da UEMG em Frutal, além de todo apoio financeiro para a realização do seu primeiro vestibular. Quanto ao Hidröex, quero registrar que, a convite do deputado Narcio Rodrigues, estive na sede da UNESCO, na França, como prefeito da cidade, para ajudar a viabilizar a instalação do Hidröex em Frutal. Hidröex: guardem bem esse nome! O Mundo ainda vai reconhecer Frutal como Patrimônio da Humanidade por sediar um instituto de excelência no estudo das águas.

3 – Qual a sua avaliação sobre as usinas instaladas e a geração de empregos em Frutal?

TH – Do ponto de vista ambiental e logístico, entendo que as duas usinas atendem à demanda atual, mesmo considerando o crescimento futuro de ambas, sem prejudicar diretamente a produção do setor agropecuário, a bacia leiteira e as plantações de abacaxi, laranja, soja, milho e seringueiras. Por outro lado, a presença das usinas Frutal e Cerradão vem de encontro com a defesa que tenho feito pela industrialização e a geração de empregos no município. Precisamos retomar, no próximo mandato, juntamente com os deputados Narcio e Zé Maia, a agressividade nas atitudes que trouxeram para cá não só as duas usinas, mas também a cervejaria e as novas empresas que deram suporte a esse crescimento e ao fortalecimento do comércio e dos empresários frutalenses. A meu ver, o desenvolvimento urbano e a industrialização são as principais deficiências do município e estiveram fora do foco da atual administração.

4 – Qual é a importância dos deputados Narcio e Zé Maia para Frutal?

TH – É preciso começar do começo de tudo. Graças ao Movimento Acorda Baixo Vale, Frutal e região se conscientizaram da necessidade de ter seus próprios deputados. E a prova incontestável está aí. As cidades da região precisam manter esta consciência política, por que, depois da eleição dos dois deputados passamos a ter outro tratamento dos governos Estadual e Federal. E isso ajudou a transformar a região. Foi um divisor na história: antes e depois de Narcio e Zé Maia.

5 – Qual é o principal desafio da cidade para que ela possa se consolidar como referência para a microrregião do Baixo Vale do Rio Grande?

TH – É identificando nossas necessidades e focando nossas possibilidades. Temos uma arrecadação que nos limita. Por exemplo: de janeiro a junho desse ano, nossa vizinha Iturama arrecadou R$ 19 milhões em ICMS, enquanto que Frutal arrecadou apenas R$ 9 milhões, tendo uma população duas vezes maior. Planejar é preciso! Sem uma arrecadação compatível, o administrador público vai gerenciar o que existe e apenas fazer o dever de casa. Por isso, reafirmo que a atração, criação e incentivo a novas empresas vão gerar, naturalmente, empregos e aumentar a arrecadação para que possamos implantar a UTI e a Hemodiálise do Hospital Frei Gabriel, e implementar, pra valer, programas no esporte, lazer e cultura, para combater os problemas na área da segurança pública, por exemplo.

6 – Em relação à Segurança Pública, você acredita que ela está satisfatória?

TH – Ainda não! No meu primeiro mandato, trouxemos a 42ª Delegacia Regional de Segurança Pública e a 4ª Cia de Polícia Militar. Na próxima administração vamos trazer o tão sonhado Batalhão da Polícia Militar, para ser implantado no bairro Novo Horizonte, na área doada à PMMG no meu segundo mandato. Para que possamos oferecer segurança de qualidade, também precisamos de uma parceria bem estruturada e atuante com as polícias Rodoviária Federal e Estadual, com o Ministério Público, com o Poder Judiciário, OAB e Sindicato Rural e dos Trabalhadores.

7 – O que é preciso para fortalecer o esporte frutalense?

TH – Criando a Secretaria de Esporte e incluir nela a Secretaria da Juventude. Também precisamos adequar as praças públicas e construir novos espaços para que possamos implantar, juntamente com as atividades esportivas, de várias modalidades e de faixas-etárias, os programas ligados ao esporte e aos jovens.

8 – Em sua opinião, a cidade está preparada para ser referência em saúde, atendendo pacientes da região no Frei Gabriel?

TH – Já somos referência em saúde. Os pacientes da região são atendidos aqui, uma vez que as Guias de Internação das cidades vizinhas são direcionadas, umas para o Frei Gabriel e outras para o Hospital Escola de Uberaba. Por isso falo de gestão profissional e humanizada dentro do hospital, aproveitando bem cada Real repassado pelo SUS e pela Prefeitura. Daí, ressalto, outra vez, a participação da sociedade organizada de Frutal e da região, por cidadãos indicados pelas prefeituras vizinhas, como membros da Fundação Frei Gabriel.  E, para concluir, temos que oferecer mais estrutura, a UTI e a Hemodiálise.

 

9 – Dentro das propostas do partido, quais as que mais seriam importantes a serem adotadas em Frutal?

TH – Logo que deixei a Prefeitura, me reciclei como profissional de arquitetura e urbanismo; ganhei muita experiência nos dois anos em que estive no Ministério do Turismo trabalhando em 70 cidades de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo como consultor do PNUD – Programa das Nações Unidades para o Desenvolvimento; fiz cursos em BH de Gestão Urbana e de Cidades pela Fundação João Pinheiro; de Plano Diretor Municipal pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG; e realizei um grande sonho, este ano, ao concluir minha Pós-graduação em Administração Pública pela Faculdade Senac Minas, além desta experiência importante como assessor regional da COHAB/Minas, atendendo 92 prefeituras do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Digo isso porque estou preparado para o novo desafio. E buscamos inspiração nas palavras “Paz – Trabalho – Prosperidade”, inseridas no Brasão da Bandeira do município para propor a estruturação do município; o seu desenvolvimento urbano, rural e habitacional; a geração de empregos e cursos profissionalizantes; a diversificação da economia; o fortalecimento dos empresários locais; a atração de novos empreendedores; Educação e Saúde de qualidade e incentivos ao Turismo, Esporte, Cultura e Lazer como metas obsessivas de uma possível terceira administração. Também precisamos trazer mais cursos para a UEMG e criar novos espaços sócio-culturais para os alunos e professores. Os detalhes do que propomos serão melhor ilustrados numa proposta de trabalho que será levada à população, em seu tempo, para que todos conheçam e avaliem.

10 – Deixe uma mensagem à população frutalense.

TH – Estou me colocando à disposição de Frutal para mais esta missão. Não poderia deixar de frisar que tenho orgulho do que fizemos em dois mandatos e que estou muito otimista em relação ao que poderemos compartilhar, construindo juntos uma Frutal cada vez melhor. Quero resumir minha mensagem em duas palavras: maturidade, de minha parte porque aprendi com meus erros e acertos; estou renovado e preparado e, se Deus permitir, vamos enfrentar e vencer os desafios. E responsabilidade, para que possamos, amanhã, caminhar por Frutal certo de ter me superado naquilo que foi proposto e no que esperavam de mim como administrador público.

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: