Bruno Augusto quer que UBSs façam agendamento on line de consultas com médicos especialistas

Visando facilitar a vida das pessoas que precisam agendar consultas de especialidades na área de saúde (como cardiologia, ortopedia, entre outros), o vereador Bruno Augusto apresentou indicação para que a Prefeitura implante um sistema de agendamento on-line nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no hospital Frei Gabriel. Atualmente, o paciente que procura uma UBS e são encaminhados para um especialista, precisam procurar a Secretaria Municipal de Saúde para realizar o agendamento com o especialista.
Muita vezes essas pessoas enfrentam filas para conseguir o agendamento o que, para Bruno, é desnecessário a partir da implantação de um sistema informatizado que gerencie as disponibilidades dos médicos. Assim, o próprio atendente da UBS já pode realizar o agendamento on-line para o paciente, além de acabar com as filas na Secretaria de Saúde, permite que o cidadão já saia da UBS sabendo qual será o dia de seu atendimento.

“Hoje em dia as pessoas, depois de passar pelo clínico geral na UBS, tem que ir lá para a Secretaria de Saúde em busca de agendar a consulta com o especialista. Isso é desnecessário num mundo conectado onde é possível fazer esse agendamento pela Internet. Eu vejo o exemplo dos nossos pacientes de Aparecida de Minas que, muitas vezes, precisam contar com a ajuda do motorista para levar os papéis para a Secretaria Municipal de Saúde e depois avisar o paciente se deu certo ou não o agendamento. Vamos acabar com isso e facilitar a vida de todos nós por meio do agendamento eletrônico e via rede”, destacou.

Bruno Augusto acrescentou que mesmo as especialidades encaminhadas para outros municípios também podem passar por esse processo, já que a Prefeitura tem conhecimento de quantos pacientes frutalenses cada médico atenderá por dia.

“É uma forma de respeitar o paciente e dar celeridade nesses procedimentos. A cidade cresceu e precisa evoluir e, do jeito que é hoje, ainda parece que estamos presos numa era onde não havia internet nem computadores disponíveis em todos os postos de saúde”, encerrou.

%d blogueiros gostam disto: