Após incêndio, produtores rurais contabilizam prejuízos na região de Uberaba e Conceição das Alagoas

O incêndio que atingiu canaviais na região de Uberaba e Conceição das Alagoas no último domingo (20) deixou um rastro de prejuízo para produtores rurais do Triângulo Mineiro. Na lavoura de milho de Oscar Razera, por exemplo, nenhuma das 60 mil espigas que deveriam ser colhidas nesta semana escapou do fogo. Além da redução na qualidade do solo, o produtor estima ter perdido cerca de R$ 400 mil.

“Estava a três dias para a gente colher e, de repente, veio esse fogaréu e acabou com o nosso sonho aqui. Acabou com tudo, detonou 100% da área”, lamenta “seo” Oscar.

O engenheiro agrônomo Paulo Marçal dos Santos avalia que a perda é maior do que o fim precoce da lavoura.

“O material carbonizado e completamente comprometida a qualidade. Agora, nós vamos ter que sentar, fazer um planejamento, se realmente compensa, [se] é viável retirar isso do solo e qual vai ser o destino. Será um planejamento diferenciado. Nós não estávamos esperando isso”, avalia Santos.

Mais de 10h de fogo

O fogo começou na manhã do último domingo e só foi controlado durante a noite. Em mais de 10h de incêndio, a MG-427 chegou a ser bloqueada pela polícia devido à falta de visibilidade provocada pela fumaça. Pelo menos 400 moradores de área rural ficaram sem energia depois que as chamas danificaram a rede elétrica, segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Nesta terça-feira (22), a Secretaria de Desenvolvimento de Agronegócio de Uberaba realizou uma reunião sobre os prejuízos causados à região. Segundo o órgão, ainda não há dados oficiais, mas a estimativa é de que cerca de 50 mil hectares de terra foram afetados, com os principais focos em Conceição das Alagoas, Água Comprida e entre Sacramento e Conquista. A secretaria informou ainda que Uberaba, Campo Florido, Veríssimo e Delta também estão entre as cidades atingidas.

Embora o levantamento sobre os locais afetados pelo fogo ainda esteja sendo realizado, o Corpo de Bombeiros informou já considerar esse o maior incêndio registrado na região, mas as causas não haviam sido identificadas até esta publicação.

 Na reunião da Secretaria de Desenvolvimento de Agronegócio, ficou definido também que o órgão vai receber produtores rurais que sofreram perdas com o fogo. A Prefeitura de Uberaba informou que vai disponibilizar técnicos para avaliarem os danos e emitirem um laudo para ser apresentado aos bancos e, assim, facilitar transações financeiras, como negociação de dívidas, financiamento e apólice de seguro.
É uma esperança para produtores como Donizetti Sousa Tristão. Por medo da temporada de incêndios, comuns em períodos mais secos, “seo” Donizetti decidiu fazer a colheita de milho e soja antes do tempo. Contudo, 12 dos 15 hectares da área de plantio foram queimados e o fogo chegou até a área de preservação da fazenda. A preocupação agora está na próxima safra.
Fonte: G1/Triângulo
%d blogueiros gostam disto: