MP pede afastamento de vereadores detidos na Operação Dejà Vu

O Ministério Público de Frutal pediu o afastamento dos sete vereadores indiciados pela Operação “Dejá Vu” em ação civil pública movida pela promotora Thalita Nascimento. Na ação é pedido o bloqueio de bens no valor de até 100 vezes o valor do salário de vereador, de veículos e bens. O pedido baseia-se no fato de que os vereadores estariam em contato com a máquina pública e que “dispõe de grande facilidade para corromper as provas eventualmente latentes e que podem ser necessárias à regular instrução do processo ora instaurado”.

Todos vereadores foram detidos em dezembro em virtude de uma ação da Polícia Civil de Frutal por um esquema de corrupção ativa e passiva para a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal realizada no dia 1 de janeiro deste ano. Na ação, protocolada no início da semana, constava ainda o impasse da eleição da Mesa Diretora que, depois de 10 sessões ainda não havia elegido um novo presidente. No entanto, essa questão já foi resolvida há dois dias.

%d blogueiros gostam disto: