Cemig lança o programa Minas Trifásico

A Cemig e o Governo de Minas Gerais lançaram o Programa Minas Trifásico, que irá modificar milhares de km de rede nas áreas rurais do estado nos próximos cinco anos. A iniciativa vai receber recursos da ordem de R$ 1,8 bilhão e beneficiar os produtores rurais em todas as regiões de Minas Gerais, além de melhorar a qualidade do fornecimento de energia a moradores e pequenos comércios na área rural. 

O Minas Trifásico vai ampliar e tornar mais robusta a rede de média tensão no interior do estado, possibilitando a transformação da agricultura de subsistência do pequeno e médio produtor rural em agronegócio. Até 2027, estão previstas, somando-se a conversão e a construção de novas linhas, a entrega de 30 mil quilômetros de redes trifásicas em todo o estado.

O governador Romeu Zema, que participou do evento de lançamento, destacou que o programa trará benefícios para os produtores, contribuindo para o desenvolvimento do Estado. “Nosso objetivo é multiplicar esse impacto para centenas de milhares de outros produtores, que terão condição de produzir mais, de ganhar mais e de gerar mais empregos. A Cemig vai contribuir para o desenvolvimento de Minas Gerais. Chega de falta de energia e de insuficiência para atender adequadamente às necessidades do povo mineiro e do setor produtivo. O que estamos vendo aqui é um avanço enorme para o Estado”, disse o governador.

O diretor-presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi Filho, disse durante o lançamento que o programa é um dos mais importantes da Cemig até aqui. “Estamos lançando aquilo que estamos considerando a menina dos olhos do nosso programa de investimentos, o Minas Trifásico, que vai transformar a vida de muita gente e é, de fato, a grande missão que temos nesta gestão: melhorar o atendimento aos mineiros e retomar a vocação da Cemig de ser indutora do desenvolvimento econômico e social desse estado. É o que temos feito, trabalhar para melhorar o desempenho da companhia para oferecer mais qualidade no fornecimento de energia e com isso honrar os 70 anos da Cemig. E este Programa vem para isso: transformar a vida dos mineiros com a nossa energia”, disse o executivo.

Dessa forma, continuou Reinaldo Passanezi Filho, “o principal objetivo do programa é aumentar a capacidade de instalação de novos equipamentos para os clientes rurais, com atendimento por meio de um sistema elétrico capaz de suportar as demandas reprimidas e criar oportunidade de crescimento para as famílias do campo”, completou.

Dinâmica do Programa

O presidente da Cemig afirmou que, Inicialmente, o Minas Trifásico vai focar nas áreas com maior número de clientes conectados e que hoje dispõe de redes monofásicas e também locais com maior demanda de solicitações de aumento de cargas. “Dessa forma, vamos eliminar gargalos existentes ​permitindo o florescimento do agronegócio, com maior disponibilidade de energia para irrigação, para modernização da produção de leite e para agregar maior valor na produção de café, dentre outros”, concluiu Passanezi. 

Com isso, além de viabilizar o atendimento das solicitações atuais, a Cemig espera atender às futuras solicitações e melhorar a qualidade do fornecimento de energia para as famílias e produtores rurais, evitando a interrupção no fornecimento e a variação de tensão, que provocam a paralisação de serviços e prejuízos a esses clientes. 

Reynaldo Passanezi Filho explica que as primeiras obras do programa vão atender as localidades que atualmente apresentam restrição de carga para as necessidades do desenvolvimento da vocação regional do agronegócio, que será extremamente beneficiado com o Minas Trifásico. “Dessa forma, os investimentos da Cemig permitirão a potencialização acelerada do agronegócio local, gerando novas oportunidades de negócio e renda”, concluiu.

Trifásico X monofásico

A rede trifásica de média tensão, como o próprio nome já diz, é composta por três condutores que conduzem a energia em tensão nominal de 13,8 kV, ao invés de apenas uma fase, como é o caso das redes monofásicas com tensão nominal de 7,9 kV. Consequentemente, isso amplia muito a capacidade de fornecimento de energia, além de possibilitar o uso de uma grande variedade de equipamentos e máquinas que funcionam com esta característica, aumentando as possibilidades do uso da energia elétrica.

Projeto ambicioso 

O sistema de distribuição de energia rural da Cemig vai incorporar, por ano, 4,1 mil quilômetros de rede de média tensão, equivalente ao percurso em linha reta do Oiapoque ao Chuí, famosos pontos extremos do país. 

Apenas em 2022, serão investidos R$ 335 milhões na construção e conversão de 4,6 mil quilômetros de rede. Com a conversão das redes atuais e a interligação dos novos troncos trifásicos, o Programa Minas Trifásico vai beneficiar praticamente todos os municípios da área de concessão da Cemig D. 

Dessa forma, até 2027, estão previstas a conversão de 25 mil quilômetros de redes monofásicas para trifásicas e a construção de 5 mil quilômetros de interligações entre circuitos trifásicos em todo o estado.

Maior investimento da história da Cemig 

Atualmente, a Cemig executa o maior plano de investimento da história da companhia. Até 2025, serão investidos R$ 22,5 bilhões em geração, transmissão e distribuição de energia, geração distribuída e comercialização de gás. Apenas no sistema elétrico de distribuição, que atende mais de 8,7 milhões de clientes, serão R$ 12,5 bilhões em investimentos, com foco na modernização da rede, de forma a induzir o desenvolvimento econômico de Minas Gerais. 

Recentemente, a Cemig e o Governo de Minas Gerais anunciaram o Programa Mais Energia. Essa inciativa prevê investimentos de R$ 5 bilhões para a construção de 200 novas subestações (SEs) em todo o estado, aumentando a capacidade de abastecimento para a população com o incremento de 50% dessas instalações, que são responsáveis pela distribuição de energia para os clientes.

Rodrigo Portari

Jornalista, doutor em Comunicação.

%d blogueiros gostam disto: