Policiais penais iniciam treinamento para integrar Comando de Operações Especiais

Cento e vinte e quatro policiais penais participam do primeiro Curso de Operações Penitenciárias Especiais, o Copesp, que teve início nessa segunda-feira (3/1), no Comando de Operações Especiais (Cope), em Belo Horizonte. 

Cerca de 600 candidatos se inscreveram no processo seletivo, que contou com diversas etapas e elegeu, além de 123 homens, uma mulher para integrar o treinamento.

Aqueles que concluírem o curso estarão aptos a atuar no Cope, que é o grupamento especial responsável por agir em ocorrências de alta complexidade dentro das unidades prisionais do estado, com o objetivo da manutenção da ordem.

Treinamento intensivo

Os participantes do curso vão experimentar a atuação em situações críticas, com alto nível de estresse e pressão emocional, condições climáticas adversas, por vezes em jornadas extensas de trabalho, com grandes deslocamentos e tempo reduzido para recuperação e descanso, além da transposição de obstáculos, e portando grande número de armamentos e equipamentos.

O treinamento é fiel às condições enfrentadas diariamente no trabalho do grupamento e seguirá metodologia aplicada nos principais cursos de operações especiais do país. O objetivo é que o Copesp seja uma referência entre os cursos deste padrão no país.

No ano passado três mil policiais penais e 500 agentes socioeducativos foram capacitados nos mais diversos cursos para, por exemplo, controlar situações críticas do sistema prisional, como motins e subversões da ordem. E dessa forma, a corporação se torna cada vez mais forte e eficaz para o apoio e proteção dos cidadãos.

Rodrigo Portari

Jornalista, doutor em Comunicação.

%d blogueiros gostam disto: