Covid-19: Cidades da região liberam salões, barbeiros e outras atividades

Passados 25 dias desde o início das medidas de distanciamento e isolamento social decretadas em Frutal, a maior preocupação do momento está na questão econômica do município. Diariamente o Blog recebe dezenas de mensagens em suas redes de profissionais autônomos e empresários preocupados com a demora na liberação da volta de algumas atividades. São manicures, esteticistas, barbeiros, cabeleireiros, massagistas, fisioterapeutas, além de proprietários de bares e restaurantes que estão extremamente preocupados com a situação de suas empresas.

Ao passo que uma pequena flexibilização já foi conseguida há 15 dias, quando liberou-se as vendas por delivery, várias destas outras atividades listadas acima continuam proibidas. Na região, algumas cidades começam a apresentar maior flexibilização para socorrer a população e a própria economia do município. Araxá, por exemplo, cidade do governador Romeu Zema e que também tem até o momento 2 casos confirmados de Covid-19 liberou funcionamento de alguns estabelecimentos.

Notícia de hoje no G1 aponta que Salões de Beleza e Barbeiros foram liberados a funcionar desde que sigam as medidas de higiene sanitária, horário marcado, atendimento individual por profissional, distância de 1,5 metro entre cadeiras, além da obrigação de que o profissional utilize máscara, luva, e outros equipamentos de proteção individual. Em estabelecimentos maiores, o número máximo de clientes é de 5 simultaneamente.

Em Uberlândia, com 2.515 casos confirmados, o prefeito Odelmo Leão anunciou hoje a reabertura gradativa de óticas, salões de beleza, barbearias, lojas de peças de informática e assistências técnicas. As exigências são as mesmas de sempre no que tange ao número de clientes, equipamentos de proteção e higiene sanitária.

Uberaba, que no início da semana tentou uma reabertura parcial do comércio, teve o decreto anulado pela justiça federal. A recomendação é que só ocorra esse tipo de reabertura a partir de atendimento dos critérios de capacidade de internação e leitos de UTI determinados pelo Ministério da Saúde.

São José do Rio Preto (SP) é outra cidade do nosso entorno que anunciou a liberação de mais serviços como óticas, bancas de jornais, escritórios de advocacia, lojas de materiais para construção, lavanderias, hotéis, estacionamentos, lojas de produtos agropecuários, consultórios e serviços odontológicos, assistência técnica de produtos eletrônicos e comércio de peças e acessórios para carros e bicicletas.

Barbearias e salões de cabeleireiros poderão funcionar, desde que seja feito o agendamento de clientes e que os atendentes utilizem as máscaras especiais N 95. Os comércios de alimentos, como bares, lanchonetes e restaurantes também poderão funcionar com atendimento presencial, desde que não haja consumo no local.

As atividades agora permitidas devem respeitar algumas regras de higiene e distanciamento impostas pela Prefeitura. Entre elas estão: garantir o uso de máscaras para funcionários, sendo elas de tecido ou descartáveis; assegurar que os clientes só entrem no estabelecimento usando máscara; respeitar a distância mínima de 1,5 metro entre pessoas no interior do estabelecimento; disponibilizar álcool em gel 70% para funcionários e clientes.

Atualmente a estimativa é que até o fim do período crítico da Pandemia o Brasil tenha 5 milhões de novos desempregados, que vão se juntar a outros 12 milhões que já procuravam emprego antes dessa crise sanitária, fora os trabalhadores informais.

A ACIF, na semana passada, tentou maior flexibilização das regras em Frutal. No entanto, na última segunda-feira, reunião do Comitê de Combate ao Covid-19 não alterou o decreto em vigor. Muitas dessas atividades liberadas pela região ainda permanecem proibidas em Frutal. Vamos aguardar quais serão os próximos desdobramentos nas reuniões futuras.

Rodrigo Portari

Jornalista, doutor em Comunicação.

%d blogueiros gostam disto: