CEI da Copasa fez audiências para ouvir a população

A CEI-Comissão Especial de Investigação sobre a Copasa realizou duas audiências em que pessoas da comunidade foram chamadas a dar depoimentos relacionados à atuação da empresa, que é concessionária dos serviços de tratamento e fornecimento de água e de esgotos em Frutal. As pessoas foram ouvidas na noite do dia 5 de março e na manhã do dia 6, pelos vereadores integrantes da comissão, presidida pelo vereador Edivalder Fernandes da silva, relatada pelo vereador Querino François de Oliveira Vasconcelos e tendo a vereadora Ana Claudia Brito Marchi como terceiro membro.

O vereador Edivalder Fernandes da Silva, que preside a CEI, comenta que a Comissão investiga desde setembro de 2019 e o prazo inicial de noventa dias foi prorrogado por mais noventa, a fim de concluir todas as fases do trabalho. “Nos estamos agra na fase de ouvir consumidores e técnicos relacionados a esse serviço. Na quinta, dia 5, ouvimos três consumidores e, na manhã da sexta, ouvimos quatro pessoas, sendo um membro da sociedade e três pessoas com conhecimento técnico. Recebemos informações importantes que contribuíram para ratificar alguns dados e acrescentar novidades das quais não havia conhecimento.”

Edivalder apontou que todo esse material foi documentado para embasar o relatório final e, nesta segunda-feira, dia 9, serão ouvidas mais três pessoas, incluindo uma relacionada ao meio ambiente, o gerente Jaime e uma pessoa da área técnica. Foi feito ainda um convite ao promotor Renato Teixeira Rezende, que acompanha o caso pela Curadoria do Meio Ambiente. “Essa oitiva deverá encerrar essa fase. Já fizemos visitas às estações de tratamento de água e esgotos, captação de água, estações elevatórias, pontos de transbordo do esgoto, o antigo lixão e postos de monitoramento.”

As visitas, segundo ele, foram complementadas com a ida a alguns órgãos, como Uberaba e Ituiutaba, que possuem tratamento de água esgoto feito pelo município, foi feita a busca de apoio técnico em Uberlândia, Franca e Belo Horizonte. “Já houve também uma audiência no Procon de Belo Horizonte no final de dezembro, buscamos contato com a Arsae, que regula as atividades da Copasa e fiscaliza. Consideramos que a Arsae não tem sido eficiente, pois, apesar de ter membros eleitos, tem a força do governo sobre ela e a sede é dentro da cidade administrativa em Belo Horizonte.”

Os próximos passos da CEI, segundo seu presidente, serão a realização de uma análise da água por meio de um laboratório autônomo e contratação de  uma empresa para realizar um diagnóstico da estrutura física da Copasa em Frutal. Previsões dos integrantes da Comissão de Investigação preveem que poderá haver mais uma prorrogação por noventa dias para que seja concluído o relatório final das atividades.

Rodrigo Portari

Jornalista, doutor em Comunicação.

%d blogueiros gostam disto: