GAECO desarticula quadrilha de roubo a cargas na região

Quarenta pessoas foram detidas nesta quarta-feira (19) durante a Operação “Dominó”, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Os mandados de prisão foram em Uberlândia, Uberaba, Monte Carmelo, Abadia dos Dourados, Centralina e Canápolis.

O objetivo é coibir a atuação de organizações criminosas da região em crimes como roubo de cargas e receptação de veículos.

Segundo informações da Promotoria de Justiça, entre os presos está um policial militar que atua em Uberlândia. O coronel Cláudio Vítor Rodrigues Rocha, comandante da 9ª Região de Polícia Militar (RPM), informou que o cabo foi levado para o Batalhão da PM. Empresários também estão entre os presos.

“Temos uma atuação efetiva em relação ao controle interno. Diante de qualquer suspeita de policial militar envolvido em crime, a gente parte para um trabalho de investigação interna. A partir de agora vem o processo administrativo a fim da demissão deste militar”, falou o comandante.

O promotor Adriano Bozola esclareceu que são 68 pessoas investigadas. Além dos 40 presos, outros 16 já estavam no sistema prisional por outros crimes e 17 estão foragidos. Entre eles um pai de santo que os criminosos consultavam para ter aprovação antes das ações e um ex-policial militar condenado por roubo há mais de 20 anos e que cumpre prisão domiciliar.

“Ele deve responder na esfera crimina e ainda a instituição militar deve abrir procedimentos administrativos a fim de exclusão desse policial e também pode responder por improbidade administrativa por ter desviado da função”, explicou.

Ao todo foram expedidos 89 mandados de prisão preventiva e 62 mandados de busca e apreensão. Trezentos policiais militares participaram da operação.

De acordo com o promotor Daniel Marota, outros 30 procedimentos ainda estão em investigação. “Vamos analisar agora todo material apreendido, como telefones celulares, cheques, agenda de anotações. Com certeza descobriremos outros integrantes dessas organizações e ofereceremos novas denúncias.”

Várias quadrilhas

Segundo as informações da Promotoria de Justiça, as investigações iniciaram em março deste ano depois da apreensão de dois caminhões furtados no interior de Goiás. Na ocasião, dois criminosos foram presos em flagrante.

Com o decorrer dos trabalhos, foram identificadas outras organizações criminosas que também atuavam no roubo de cargas, receptação de cargas e veículos, e roubos a propriedades rurais e de veículos.

O nome da operação faz referência ao “efeito dominó” ocorrido ao longo das investigações, uma vez que a identificação de uma quadrilha levava à ligação dos outros grupos criminosos. Nesta primeira fase da operação foram identificadas sete organizações distintas com atuação nas regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e sul de Goiás.

O Gaeco apurou que os roubos foram a cargas variadas de café, cerveja, grãos, defensivos agrícola, cosméticos, entre outras.

Fonte: G1/Triângulo

Rodrigo Portari

Jornalista, doutor em Comunicação.

%d blogueiros gostam disto: