Mulher “come” R$50 / Ladrão aborda jovem e rouba calcinha usada

noticiapoliciaSemana marcada por ocorrências, no mínimo, inusitadas. A primeira, em Planura. A segunda, em São José do Rio Preto (SP), mas me chamou a atenção do mesmo jeito. Falemos das duas, começando por Minas Gerais…

Uma mulher de 27 anos foi presa pela PM de Planura sob suspeita de roubo. Elaine Aparecida dos Santos foi apontada como possível autora de um roubo de R$50 após empurrar a vítima e tomar o dinheiro. De acordo com o sargento Cícero Rodrigues da Silva, ao localizar a suspeita, não encontrou o dinheiro. “A autora confessou que havia praticado o roubo e que tinha pegado o dinheiro para comprar comida. Mas disse que, ao ver a polícia, ficou assutada e comeu a cédula de R$50”.

Agora, uma pergunta “engraçadinha”… será que a nota saiu à vista ou a prazo, depois de ser engolida?

==

Outro caso “estranho” que saiu no Diário da Região.  Vou reproduzir o texto publicado no Diárioweb:

A cena é insólita. Um criminoso aponta a arma para uma mulher no meio da rua, dá uma tesoura para ela e a obriga a cortar as laterais da calcinha. Em, seguida, ela precisa se espremer para retirar a peça íntima por baixo da roupa para, então, entregar a lingerie ao improvável ladrão, que foge em uma motocicleta.

Pois acredite. O caso aconteceu exatamente assim em Rio Preto na noite de quarta-feira, dia 13, na avenida São Judas Tadeu, esquina com a rua Antônio Pedro Ferracine. A vítima foi uma vendedora de 19 anos, que registrou a ocorrência na polícia somente na tarde desta quinta-feira, dia 14.

A moça contou à polícia que o ladrão maluco estava com um revólver e em uma motocicleta quando parou a seu lado, que estava a pé. Ele, então, mandou que vítima fosse até um lugar mais escuro da rua, apontou-lhe a arma, entregou-lhe a tesoura e exigiu sua calcinha.

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima caminhava pela avenida São Judas Tadeu quando, na esquina da rua Antônio Pedro Ferracine, foi abordada por um motociclista, que dirigia uma Honda Titan, de cor verde. A arma, segundo a moça, aparentava ser uma pistola com acabamento oxidado.

A vendedora não ficou ferida. Ela informou à polícia que o homem era pardo ou queimado de sol e de estatura mediana, usava blusa verde e, por estar de capacete, o reconhecimento seria prejudicado. No entanto, a vítima afirmou que é capaz de reconhecer a blusa, a arma e a voz do assaltante.

Agora fica a dica para as moças tomarem cuidado, apesar de não entender o que o ladrão queria com uma calcinha… ou fazer de conta que não entendo!

rf2015d

BomTetook

Rodrigo Portari

Jornalista, doutor em Comunicação.

%d blogueiros gostam disto: