Resultado das contratações geram dúvidas

O resultado da prefeitura saiu e alguns dados ficaram faltantes no documento divulgado pela prefeitura. O primeiro deles é a nota de cada um dos concorrentes aos cargos públicos, que não foram divulgadas.

==

Também faltou uma separação entre os classificados e os de lista de espera. Assim, para saber se uma pessoa passou ou não no edital é preciso olhar o quadro do número de vagas para contar, linha após linha, quem está e quem não está com a vaga.

==

Chamou a atenção também, no setor da educação, que professores titulados com doutorado, pós-doutorado e mestrado não terem passado em primeiro lugar em nenhuma das vagas. Isso porque temos casos ali de professores da área de português que tem de graduação a pós-doutorado em Letras e, mesmo assim, ficou em segundo lugar.

==

Isso me leva a refletir se o nível da concorrência foi extremamente alto para os cargos de professor ou se os critérios de avaliação no quadro de pontos podem ser considerados extremamente arbitrários. Enfim, coisas de Frutal.

==

Seria excesso de qualificação desses profissionais?

==

Também foi levantado por um dos candidatos o questionamento o fato de que dois farmacêuticos foram demitidos e havia apenas uma vaga no edital.

==

Enfim, vamos aguardar agora o desdobramento dessas contratações.

==

Quem ainda não viu o resultado, ele está disponível aqui: http://www.frutal.mg.gov.br/images/stories/Resultado_Processo_Seletivo_Frutal_MG.pdf

==

==

 

Comments

comments

rodrigoportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação.

Um Comentário:

  1. Fico mais na cara do que nunca, que esses cargos são aqueles oeferecidos na compra e venda de votos. Deixaram de fazer entrevistas, não contrataram uma empresa para realizar um concurso devido ao fato de todas as vagas já estarem com as cartas marcadas já. É lamentável ver que pessoas sem graduação alguma conseguiram vagas onde pessoas formadas na área se candidataram. Mauri se mostra um prefeito tão fraco e despreparado, a não ser que mude da água para o vinho em 4 anos. Hoje, não votaria nele jamais.

Comentários estão fechados