Bruno propõe consórcio regional de saúde

O vereador Bruno Augusto de Jesus Ferreira voltou a falar da situação precária do Hospital Frei Gabriel, que tem piorado o atendimento aos usuários a cada dia e também as condições de trabalho dos colaboradores. Ele lembrou que, nesta gestão, já viabilizou quatro milhões de reais para a instituição, porém as necessidades são maiores. No dia 27 de junho, Bruno se reuniu com o Dr. Carlos Eduardo Amaral, Secretário de Saúde do Estado e, na oportunidade, sugeriu a criação de um consórcio regional, entre os municípios e o governo estadual, com a finalidade de melhorar a estrutura e serviços do hospital.

“O hospital é municipal, mas faz papel de estadual. Por esse motivo, fui até ao secretário de saúde e apresentei a situação do Frei Gabriel, além de mostrar o comodismo do governo de Minas Gerais. É preciso criar um consórcio regional, entre as cidades que utilizam o hospital, juntamente com o governo estadual”, disse.

O vereador explicou que o modo como funciona atualmente o hospital é bom somente para os municípios e para o governo estadual, uma vez que a conta maior sobra para Frutal. “Os municípios vizinhos utilizam o hospital e o único gasto que têm é o deslocamento do paciente. O governo estadual também é beneficiado, uma vez que o Frei Gabriel assume uma responsabilidade que deveria ser do estado. Tudo isso somado à omissão da administração de Frutal, junto da incompetência do Ibrapp, prejudica diretamente o cidadão frutalense”, afirmou.

Bruno ainda comentou sobre a falta de interesse da Prefeitura de Frutal, que não toma nenhuma atitude, não busca qualquer ajuda e aceita calada o desastre da gestão do Ibrapp. “O hospital é terceirizado, porém pertence à Frutal e, por esse motivo, a administração deveria ter pulso firme. Mas, ao contrário disso, aceita calada os desastres cometidos pelo Ibrapp. A Prefeitura não busca recursos e nem ajuda das cidades vizinhas. O Executivo precisa entender que não é possível viver de aparências, querer pagar uma conta que o povo de Frutal não consegue sozinho. Por isso, é momento de unir forças, deixar as diferenças políticas de lado e priorizar a população que sofre com esse descaso e ingerência”, enfatizou.

Ao finalizar, ele lembrou que propôs uma audiência pública com as cidades vizinhas, com objetivo de buscar ajuda, mas que a Secretaria Municipal de Saúde de Frutal, se manifestou dizendo que tal medida é desnecessária. Dessa forma, segundo Bruno, é a mesma coisa de dizer que a Prefeitura de Frutal não precisa de ajuda e consegue gerir o hospital sozinha, o que não é verdade.

Comments

comments

rodrigoportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação.

Comentários estão fechados.