Inspirado por instrutor do Proerd, jovem se torna PM em Itapagipe

Quando era criança, Clécio Leonel Garcia queria ser jogador de futebol, mas uma participação no Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) da Polícia Militar (PM), em Itapagipe, o fez mudar de ideia.

Ele estudava na Escola Municipal Gil Brasileiro e gostava muito das aulas do programa que tinha quando estava no 5º e 7º anos. Com o tempo, percebeu que o sonho de ser atleta não daria certo e então, assim que terminou o Ensino Médio, resolveu se tornar policial.

Garcia atualmente tem 24 anos, se tornou soldado no 3º pelotão da 4ª Cia. Independente da PM e também atua como instrutor do Proerd em duas escolas municipais.

Dez meses após entrar para a corporação, em julho de 2016, ele foi marcado por uma surpresa: reencontou o ex-instrutor, da época de escola, o tenente Leonel Gonçalves dos Santos, que é o comandante do 3º pelotão.

“Quando entrei na PM, primeiro fui para Uberaba, onde fiquei 10 meses, e depois voltei para Itapagipe, que é a minha cidade natal. Daí, cheguei e mostrei a foto para o tenente e comentei que ele tinha sido o meu instrutor. Foi uma alegria imensa a gente ter se reencontrado”, contou.

Com um ano e meio de corporação, Clécio foi convidado pelo comandante para ser um instrutor do Proerd. “Como eu já tive as aulas do programa e gostava muito da dinâmica que eles faziam, achei que seria uma forma interessante de passar adiante o conhecimento que eu recebi”, disse.

Segundo o tenente Santos, foi uma grande satisfação perceber que o programa teve um impacto positivo na vida do antigo aluno.

“O Proerd vem para reforçar ainda mais as orientações sobre o porquê de dizer não às drogas, à violência. No caso do Clécio, a gente percebe que surtiu efeito não só na época de criança, mas na vida adulta, fazendo com que ele adotasse uma postura e um caminho produtivos e positivos, que foi prestar o concurso, entrar para a PM e focar naquilo que ele aprendeu no programa, que foi praticar o bem”, comentou.

“O programa é importante porque, a partir dele, as crianças vão ter uma visão mais ampla do certo e do errado. A gente as ensina a tomar decisões mais seguras e responsáveis. É fundamental a união da PM com a sociedade e, com esse vínculo, combater a criminalidade”, ressaltou o soldado.

Fonte: G1 Triângulo

Comments

comments

rodrigoportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação.

Comentários estão fechados.