Após incluir UEMG em rol de “privatizações”, candidato retira plano de governo do ar

Desde ontem um assunto ganhou corpo nas redes sociais de Frutal e de alguns pontos do estado: o plano de governo do candidato ao governo Romeu Zema, que disputa o segundo turno com Antônio Anastasia. Em especial, aqui em Frutal, o destaque se dava para um parágrafo da Página 21 do plano, que dizia, na seção ‘Empresas públicas mais eficientes e menos estatais”:

“Junção da UEMG, EPAMIG e Emater e privatização das mesmas com estabelecimento de “Golden share”, para manutenção do Status de Centro de Desenvolvimento Científico”.

Tão logo o trecho foi divulgado, diversas pessoas passaram ao embate. Algumas, defendendo a ação. A maior parte, se posicionando veementemente contra incluir a Universidade o rol de privatizações que, dentre as diversas ações, poderia resultar em passar o controle para a iniciativa privada, resultando em barreiras de acesso ao ensino superior público no estado e, quiçá, o fim de sua gratuidade.

Particularmente, como professor da Universidade, me posiciono veementemente contra essa proposta inclusa no plano de governo que estava no site oficial do candidato. Privatização e Ensino Público não combinam, em qualquer uma das formas que se tente justificar. Vejo, diariamente, colegas que trabalham muito mais que as 40 horas para as quais somos contratados, dando o máximo de si para o progresso da Universidade. Da mesma forma, encontramos milhares de alunos em toda a estrutura da UEMG, que tem cerca de 15 mil estudantes, que sequer teriam condições de bancar mensalidades em qualquer um dos cursos ofertados hoje.

O fato é que já nessa manhã o site oficial do candidato retirou do ar o Plano de Governo, bem como a seção onde ele se encontrava. Mas, para aqueles que tenham dúvidas sobre o caso, disponibilizo o arquivo nesse link.

E que os eleitores mineiros reflitam bem sobre propostas como essas antes de dar seus votos nas urnas. Fica aí o alerta.

Comments

comments

rodrigoportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação.

Comentários estão fechados.