2ª Feira de Agronegócios: premiação do torneio leiteiro

Na tarde de quarta-feira, 04 de julho, logo após a última ordenha foi realizada a entrega dos prêmios e troféus do torneio leiteiro. A festividade ocorreu por volta das 17h30.

De acordo com a veterinária responsável pelo torneio, Taíssa Cassiano Brás de Barcelos, o evento superou todas as expectativas dos organizadores, com resultados acima do esperado. “Isso foi resultado do companheirismo dos produtores, do apoio prestado pela comissão organizadora e principalmente do cuidado genético feito pelos produtores. Os produtores estão competindo bastante, com bastante procedência, e estão preparando os animais com força total. Portanto, o torneio do próximo ano promete ser ainda mais disputado”, projeta ela.

Jorge Tadeu de Oliveira, da Fazenda Jaó, foi o ganhador do troféu de primeiro lugar. Ele diz que o primeiro passo para chegar a esse resultado é a genética. “O trabalho vem sido feito pela fazenda há 10 anos. Além da dieta, fatores como dedicação, alimentação, dieta e carinho com os animais foram essenciais para a vitória.”

O ganhador parabeniza os representantes da Cofrul, da Intermaq e todos os idealizadores do evento. Jorge falou também sobre a vaca Gardênia, vencedora da competição. “A classificação se deve a um trabalho de longo prazo, já vínhamos preparando os animais há um tempo. O torneio leiteiro é muito complicado, depende muito da dedicação dos animais. Fazer uma vaca produzir 700 litros de leite não é fácil. Os meninos da minha equipe estão de parabéns.”

Milton da Mata, da dupla classificada em terceiro lugar, era um dos estimuladores da volta do torneio leiteiro a Frutal. “O pessoal que participa é muito profissional. Gosto muito da ideia do torneio e continuarei participando, caso haja nos próximos anos.” Não só Milton, mas os outros competidores também prometem voltar ao torneio.

Adriano Reis, coorganizador do evento, ressalta novamente a importância da genética para o torneio. “O que fazemos hoje é trazer essa genética e dar acessibilidade a outros produtores. Para chegar ao ponto que estamos hoje, é necessário de cinco a 15 anos, e o que fazemos é encurtar esse tempo.” Adriano comenta ainda que a Fazenda Jaó alcançou quase 100% das vendas com preços recordes.

Os ganhadores tomaram o tradicional “banho de leite” após a premiação. O convite fica aberto para todos os produtores da região que quiserem participar do torneio no ano seguinte, lembrando que o principal objetivo é mostrar o potencial dos animais, e não simplesmente competir entre produtores.

Comments

comments

rodrigoportari

Jornalista, professor universitário, Dr. em Comunicação.

Comentários estão fechados.